Política

Puccinelli admite querer presidir PMDB, mas diz ser ‘vovotorista’ até dezembro

André não descartou candidatura ao governo

Evelin Cáceres Publicado em 19/08/2017, às 13h34

None

André não descartou candidatura ao governo

“Se for consensual, vou presidir o partido. E quanto a ser candidato, eu digo: até o final deste ano vou ser vovotorista”, admitiu o ex-governador André Puccinelli na convenção municipal do PMDB que acontece neste sábado (19). 

Puccinelli chegou ao evento, deu somente esta declaração e entrou, cercado sempre de filiados ávidos por um abraço do ex-governador.

Em novembro, membros do partido devem elegê-lo presidente regional do PMDB. E sobre ser ‘vovotorista’, referência feita para avisar que ficará dirigindo para os netos e cuidando deles até o dia 31 de dezembro de 2017, Puccinelli deixa claro não ter descartado, como antes chegou a fazer, uma candidatura em 2018 ao governo do Estado.Puccinelli admite querer presidir PMDB, mas diz ser ‘vovotorista’ até dezembro

Como desafio, André e Reinaldo Azambuja (PSDB), atual governador, precisam enfrentar as denúncias que envolvem também o ex-governador e atual deputado federal Zeca doo PT após a delação premiada dos irmãos Joesley e Wesley Batista, que revelaram haver em Mato Grosso do Sul forte esquema de arrecadação de propina via a JBS.

Em todos as três administrações, segundo a delação, os ex-governadores teriam recebido propina em acordos comerciais visando isenção de impostos. 

Jornal Midiamax