Política

Projeto de diminuição dos vereadores divide opiniões na casa de leis

Mesmo no recesso proposta volta a ser discutida

Midiamax Publicado em 09/01/2017, às 14h29

None
rocha_e_siqueira.jpg

Mesmo no recesso proposta volta a ser discutida

O projeto que prevê a diminuição do número dos vereadores na Câmara Municipal de Campo Grande voltou a ser assunto discutido na casa de leis e já divide opiniões. Um ex-vereador e outro eleito querem a redução, mas com quantidade diferente. Já o presidente do legislativo, afirma que 29 é suficiente.

No mês de outubro, após a eleição, o agora ex-vereador Airton Saraiva (DEM) reapresentou seu projeto que pretende diminuir de 29 para 23. Segundo contas do parlamentar na ocasião, a economia seria de R$ 15 milhões anuais aproximadamente.

Na época ele afirmou já ter obtido 14 assinaturas. “O homem público também tem que estar preocupado com a situação econômica do país e corresponder aos anseios da população”, disse o ex-parlamentar no ano passado.

Ao ser questionado sobre o projeto no último dia dos trabalhos em 2016, ele relatou que como não iria permanecer na casa, já que não buscou reeleição por planos para deputado estadual, o deixou na casa protocolado para outro pegar e dar continuidade.

“Está na casa protocolado, tramitando. Como eu estou saindo resolvemos deixar que os futuros vereadores realmente toquem o projeto. Fizemos uma redução para 23 e vamos esperar que a nova Câmara queira reduzir isso. Fica na procuradoria Jurídica da casa e ai a presidência ou alguma vereador podem tomar posição sobre esse assunto”, declarou Saraiva.

Mesma linha

Quem tem, praticamente a mesma intenção do ex-parlamentar é o vereador eleito Vinicius Siqueira, também do DEM. Ele já havia deixado claro esta sua ideia e ao ser perguntado se aproveitaria a matéria do colega, ele diz que vai tentar passar o dele, que reduz para 15 e se não tiver sucesso vai reaproveitar a proposta de Saraiva.

“O projeto dele é um pouco maior do que o meu em número. Ele quer reduzir para 23 e eu acho que cabe uma redução maior, que é para 15. Se o meu projeto for muito difícil eu vou usar o dele, que já tramita na casa e tentar aprovar. Qualquer redução me agrada. Mesmo agora em nosso recesso vou buscar apoios”, relatou Siqueira.

Questionado se acha que a matéria vai ser aceita pelos colegas, ele diz que depende do clamor popular. “Já agora no recesso fou buscar apoio a minha proposta. Para passar depende da população demonstrar que quer. Eles queriam uma pessoa aqui para fazer esse tipo de pedido. Temos a cadeira, mas temos que ter a pressão população. Se a sociedade se manifestar, acredito que votam sim”, concluiu o vereador.

Suficiente

Já para o presidente da casa, vereador João Rocha (PSDB), o número atual é suficiente. “A população elegeu 29 vereadores e dessa forma entende que todos estes e nós também, que é um número suficiente”.

Ainda segundo Rocha, a questão é qualidade. “Nós precisamos ter representatividade dos mais diversos segmentos. Campo Grande é uma cidade que está indo para quase um milhão de habitantes, então a Câmara, como é o órgão que representa o cidadão, eu entendo que não é uma questão de quantidade e sim de qualidade”, finalizou.

Foto: Cleber Gellio/ Midiamax

Jornal Midiamax