Prefeito diz que crise ainda dura 14 meses, mas não vai escalonar salários

Déficit mensal é de R$ 30 milhões
| 17/04/2017
- 17:31
Prefeito diz que crise ainda dura 14 meses, mas não vai escalonar salários

Déficit mensal é de R$ 30 milhões

O prefeito de Campo Grande, (PSD), estima que a cidade só voltará à normalidade nos serviços públicos dentro de 14 meses, no entanto, mesmo em crise, garante que o salário dos 22 mil servidores vai seguir em dia, sem necessidade de escalonamento, como chegou a ocorrer na gestão passada.

Conforme disse durante agenda pública na manhã desta segunda-feira (17), o Executivo tem déficit mensal de R$ 30 milhões, além disso, está sem receber auxílio do governo Federal e consegue pouco com o governo Estadual, em comparação ao necessário para contornar a situação deixada pela administração anterior.

“Então, se não tomarmos medidas mais urgentes, podemos levar Campo Grande a uma situação incômoda, mas não vou deixar isso acontecer, ainda que custe a popularidade, vou tomar medidas antipáticas. Não vou deixar Campo Grande falir”, disse. Quanto à possibilidade de escalonar salários, manteve o mesmo tom. “Não vou deixar, não vou virar as costas para a máquina pública”, completou.

Para manter o pagamento em dia, se necessário, irá diminuir produtividade, gratificações ou até reduzir alguns outros penduricalhos que existem, “desde que não fira a segurança jurídica e o princípio do direito adquirido”.

Marquinhos afirmou, ainda, acreditar que dentro de 12 a 14 meses a situação da cidade será normalizada. “Eu sempre disse que para construir demora, mas para destruir é fácil”, observou.

Veja também

Procuradoria-Geral de Maracaju afirma que aguardam notificação judicial sobre a condenação de Rogério Bezerra, preso por homicídio

Últimas notícias