Marquinhos diz que servidor que aderir à greve geral terá que repor falta

Paralisação deve atingir todo o país na sexta-feira
| 27/04/2017
- 17:06
Marquinhos diz que servidor que aderir à greve geral terá que repor falta

Paralisação deve atingir todo o país na sexta-feira

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) revelou que não vai cortar o ponto dos servidores que aderirem à geral marcada por entidades sindicais para a sexta-feira (28), como forma de protesto contra as reformas trabalhista e da previdência.

O Chefe do Executivo Municipal deixou claro, durante agenda pública na manhã desta quinta-feira (27), que vai exigir que os servidores que faltarem ao serviço em virtude da greve reponham o dia posteriormente.

“É uma causa justa, como trabalhador também estaria aplaudindo a movimentação, mas deve ser passiva e ordeira, e não influenciar nos serviços públicos. Não vou cortar o ponto, mas vamos exigir a folha de frequência”, disse o prefeito.

O Fórum Estadual Contra a Reforma da Previdência e Reforma Trabalhista espera participação na paralisação de mais de 200 entidades, diversas categorias e setores que vão do transporte público e privado à saúde pública.

A greve geral que ocorre na sexta-feira (28) contra as reformas em vigência no Congresso, projetos do Executivo Federal são estimadas pelas centrais como a maior dos últimos 30 anos é uma resposta às Reformas da Previdência, Trabalhista e contra a aprovação da terceirização total.

 A greve terá um ponto de encontro, às 8h, na Praça Ary Coelho, região central. Não há um itinerário confirmado, mas as categorias devem marchar pelo centro. O Comitê espera um número maior do que o último protesto no dia 15, que levou cerca de 15 mil pessoas para a rua.

Veja também

As ações vão desde entrevistas a reuniões com lideranças partidárias

Últimas notícias