Governador disse que Joesley desmentiu delação

Durante agenda pública na manhã desta segunda-feira (4), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) revelou que o governo pode se antecipar à conclusão da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Propina e cobrar restituição dos benefícios fiscais ao Grupo JBS.

Apesar de afirmar que considera o trabalho da CPI, presidida pelo deputado Paulo Corrêa (PR), ‘autônomo’, Reinaldo revelou que o Estado pode cobrar a devolução dos incentivos concedidos, uma vez que os frigoríficos do grupo não cumpriram com as contrapartidas.Governo pode pedir restituição à JBS antes mesmo da CPI da Propina

De acordo com Azambuja, a Sefaz-MS (Secretaria de Estado de Fazenda) e a PGE (Procuradoria-Geral do Estado) estão analisando todos os processos referente a JBS, em um grupo de trabalho criado especificamente para isso.

“Já que eles confessaram de três plantas que não cumpriram, desmentindo o que ele falou na delação, o Estado vai autuar naquilo que é devido”, afirmou o tucano.

O governador também comentou sobre a venda da Eldorado Brasil Celulose, empresa do grupo JBS, vendida no último final de semana para um grupo holandês, Paper Excellence, por cerca de R$ 15 bilhões.

“Pelo menos é uma empresa do ramo, uma das maiores do mundo, e a gente torce que garanta os investimentos”, finalizou Azambuja.