Política

Douradão, universidade, energia e escolas foram as marcas de Pedrossian em Dourados

Os ex-prefeitos Zé Elias e Braz Melo são representantes do pedrossianismo em Dourados.

Midiamax Publicado em 22/08/2017, às 13h38

None

Os ex-prefeitos Zé Elias e Braz Melo são representantes do pedrossianismo em Dourados.

Um dos mais disciplinados discípulos do pedrossianismo em Dourados o ex-deputado federal e ex-prefeito de Dourados José Elias Moreira lamentou hoje a morte de Pedro Pedrossian e afirmou que o ex-governador “construiu as bases da cidade que temos hoje”.

José Elias que foi prefeito de Dourados de 1977 a 1982 afirmou que Dourados era uma cidade pequena sem nenhum palmo de asfalto. “Pedrossossian ainda no seu primeiro governo no final da década de 1960 trouxe para Dourados o linhão de energia elétrica vindo da Usina de Urubupungá e a cidade começou a se desenvolveu, disse o ex-prefeito que foi deputado federal constituinte.

“Depois Pedrossian construiu a Vila Popular, o primeiro conjunto habitacional de Dourados, asfaltou e iluminou a Avenida Marcelino Pires, a principal artéria da cidade”, explicou José Elias que atualmente é o secretário de Planejamento da administração da prefeita Délia Razuk.

José Elias ressaltou ainda como obras emblemáticas para Dourados a implantação da Universidade Estadual, a construção de escolas como a Menodora e a edificação do Estádio Douradão. “Perdemos um grande líder. Dourados e o Mato Grosso do Sul não tinha nada antes de Pedrossian. Ele foi o começo de tudo”, disse Moreira lembrando ainda das estradas Guairá-Porã e Apa-Aporã que interligou regiões remotas do estado.

O ex-prefeito Braz Melo, que depois de uma longa ausência da política, está ocupando o cargo de vereador, disse que perdeu um amigo. “Pedrossian influenciou uma grande geração de políticos”, disse Braz que chegou ao Mato Grosso do Sul pelas mãos de Pedrossian para ser engenheiro da Sanesul. Braz Melo foi um seguidor do ex-governador a exemplo de José Elias.

Moreira, quando deixou a prefeitura de Dourados disputou o governo do Estado com as bênçãos de Pedrossian, mas acabou sucumbindo à força das mudanças pregadas pelo PMDB que acabou elegendo Wilson Barbosa Martins.

Jornal Midiamax