Política

‘Descobri que eu era um criminoso’, diz Joesley Batista

Delator disse que Temer pedia dinheiro 'sem cerimônia'

Midiamax Publicado em 01/09/2017, às 17h09

None

Delator disse que Temer pedia dinheiro ‘sem cerimônia’

Em entrevista à revista Veja desta semana, o empresário Joesley Batista, dono da JBS, afirmou que achava que estava agindo “dentro de um padrão de normalidade”, mas que depois se deu conta de que levava uma vida de crimes.

“Nós somos empresários e os empresários estão subordinados ao Estado. Se os mandatários do Estado negociam com você daquela forma, você acaba achando que opera dentro de um padrão de normalidade. A gente vai ficando anestesiado”, disse.

Agora, como delator, ele disse que mudou a sua forma de pensar e de agir. “Ninguém sai de um processo desses como entrou. Esse negócio de virar colaborador da Justiça é muito novo para todo mundo. Um delator não ‘faz’ uma delação simplesmente, ele vira uma chave. Muda sua forma de pensar, de agir. Aqueles amigos que você tinha já não servem mais. Se você mudou realmente, você muda de grupo e passa a enxergar as coisas sob outro ângulo”.

Joesley Batista disse ainda que não tem coragem de sair de casa. Ele acusou 1.829 candidatos eleitos, incluindo um presidente e uma ex-presidente da República, de receber propina de sua empresa, a JBS.

“Na hora em que os nossos anexos começarem a revelar outras organizações criminosas, aí talvez a sociedade vá olhar e dizer: ‘Pô, o Joesley teve a imunidade, mas olha como ele ajudou a desbaratar a corrupção’.”

Temer

Segundo a entrevista, Joesley afirmou ainda que o presidente Michel Temer pedia dinheiro, sempre de uma forma muito direta. “Esse Temer que você vê na televisão é falso. O Temer verdadeiro é o que eu gravei. Aquele Temer que fala sem cerimônia”, afirma.

Jornal Midiamax