Política

Deputados petistas querem testar suas forças políticas em eleição da legenda

Quatro estaduais estão em chapas diferentes  

Midiamax Publicado em 07/04/2017, às 12h41

None
Foto: ALMS

Quatro estaduais estão em chapas diferentes

Os quatro deputados estaduais petistas, Pedro Kemp, Amarildo Cruz, João Grandão e Cabo Almi, pretendem testas suas forças políticas na eleição para direção municipal e estadual da legenda. Isso por que cada um deles está com uma chapa diferente na disputa, mesmo pregando com frequência uma união da bancada na Assembleia Legislativa, no qual geralmente sempre votam juntos.

A afirmação veio do parlamentar Cabo Almi e reafirmada por Amarildo Cruz. Segundo Almi, não há racha entre a bancada, mas é uma forma de testarem suas bases. “Cada um tem suas lideranças e bases. É uma forma de testarmos nossas forças, principalmente pelo fato de ano que vem ser de eleição”.

Pedro Kemp, vai na linha de que o partido tem tendências diferenciadas. Para ele, o grupo tem tendências diferentes. “As vezes é difícil você chegar a um consenso de um nome dentro do partido, mas não há briga. Só vamos cada um defender suas ideias. E normal essa disputa e domingo vamos ver como tudo acontece".

João Grandão enfatiza que sua base pediu que ele lance sua chapa. “Cada um de nós temos ideias que nem sempre são igualitários. Meu grupo pediu que fizemos isso. Eu concordei e vamos ver o resultado no domingo. Está tudo tranquilo internamente com a bancada, mas como diz é um partido, ou seja, tem partes e essa partes pensam diferente em vários pontos”.

Amarildo Cruz fala em teste de ‘forças’, assim como Almi. “É uma questão de sobrevivência. Ano que vem tem eleição e claro que queremos analisar nossas forças políticas. Nós temos nossos grupos e pensamentos diferentes em vários pontos. Mas briga não há entre nós, por que nos respeitamos muito”.

O partido passa por um momento crítico em todo o país, em especial por conta da cassação da ex-presidente da República Dilma Roussef e as diversas investigações envolvendo nomes do partido, principalmente com relação a Operação Lava Jato. Na última eleição municipal, o número de candidatos eleitos e reeleitos caiu drasticamente, comparado com o pleito anterior.

Eleição

Petistas de todo o Estado vai às urnas no próximo domingo (9), para o processo de escolha da nova direção da legenda. Este é o primeiro passo para eleição do presidente estadual do partido, atualmente nas mãos do ex-deputado federal Antônio Carlos Biffi.

De acordo com a assessoria do PT, em 60 municípios sul-mato-grossenses haverá o chamado PED (Processo de Eleições Diretas), e cerca de duas mil pessoas estão concorrendo em algumas das muitas chapas registradas. A expectativa do partido é que pelo menos 10 mil filiados em todo o Estado participem do processo eleitoral interno da sigla.

Ao todo seis chapas vão disputar as eleições internas que definem, em um posterior processo eleitoral, a direção estadual do partido e seu presidente. Os mais votados apresentam um número maior de delegados (as) para o congresso estadual, marcado para começo (5 a 7) de maio, onde serão definidos presidentes e diretores estaduais.

Segundo a assessoria petista, as seis chapas inscritas têm representação dos mandatos dos parlamentares, em diferentes correntes internas do partido.

A votação será na Câmara Municipal de Campo Grande, das 9h às 17h, domingo, dia 9. 

Chapas

A chapa ‘Esperança é Vermelha’, tendência Articulação de Esquerda, tem como líder o deputado estadual Pedro Kemp; a chapa ‘Construindo um Novo Brasil com Lula 2018’, é coordenada pelos mandatos dos deputados federais Zeca do PT e Vander Loubet, ambos da força Construindo um Novo Brasil; a chapa ‘Democratizar para Reconstruir’, é coordenada pelo mandato do deputado estadual João Grandão, da corrente Democracia Socialista; a chapa ‘Esquerda Viva’, comandada pelo mandato do deputado estadual Amarildo Cruz, independente; a chapa ‘Movimento Popular Socialista (MPS)’, tem à frente o ex-deputado federal Antônio Carlos Biffi, atual presidente regional e o presidente da Fetems, Roberto Botarelli, ambos da corrente Movimento PT, e por fim a chapa ‘PT da Base’, coordenada pelo mandato do deputado estadual Cabo Almi.

Jornal Midiamax