Política

Depois de pastores, agora é a vez de garçons serem homenageados por vereadores

Tema voltou a ser discutido na Casa de Leis

Jessica Benitez Publicado em 05/07/2017, às 10h29

None

Tema voltou a ser discutido na Casa de Leis

Os vereadores de Campo Grande realizam às 9h nesta quarta-feira (5) sessão solene em alusão ao Dia Municipal do Garçom, instituído por projeto de lei aprovado em 2013 de autoria do legislador Carlão Borges (PSB).

Segundo o texto, a data é comemorada todo dia 11 de agosto “como reconhecimento do valor de toda a categoria para a sociedade do município de Campo Grande”.

A sessão solene voltou a ser citada na sessão ordinária dessa terça-feira (4). O vereador Chiquinho Telles (PSD) disse que este tipo de homenagem valoriza os segmentos da Capital. “É um investimento necessário, reconhecimento”, disse.

O presidente da Casa de Leis, João Rocha (PSDB), aproveitou para completar. “É saudável e é uma forma de devolvermos reconhecimento à população, com simplicidade e veracidade”.

Mais cedo ele já havia dito à imprensa que, embora não pudesse falar por todos os vereadores, tinha consciência de que é não há projeto, predisposição ou vontade da Casa em extinguir as sessões solenes.

Na semana passada os vereadores discutiram o assunto. Carlão foi à tribuna dizer que não havia necessidade de acabar com a cerimônia. André Salineiro (PSDB) explicou que estava estudando uma forma de otimizar a verba gasta com tais sessões, que são feitas com muita frequência.

Rocha, porém, afirmou que o colega tucano tem de apontar gasto excessivo. “Otimizar dinheiro público? Ele tem que explicar. A sessão não tem pompa. O colega vai ter que buscar onde há isso e se conseguir dizer que há, aí contra fatos não há argumentos”.Depois de pastores, agora é a vez de garçons serem homenageados por vereadores

Contudo, opinou que a questão do gasto é relativa. “Gasto é quando aplica um dinheiro que não é necessário. Isso é um investimento, uma consideração ao serviço que as pessoas têm prestado em Campo Grande”.

Números – Conforme dados disponíveis no Portal da Transparência do Legislativo, somente para a confecção de pastas porta-certificados que serão usadas nas 23 sessões solenes entre junho e dezembro foi firmado contrato por meio de carta convite no valor de R$ 71,4 mil. Além disso, a locação de cadeiras custou R$ 4 mil.

Últimas – No dia 5 de maio foi feita sessão solene de outorga do Prêmio Papa João Paulo II, no dia 24 foi a vez de assistentes sociais serem homenageados e 31 os enfermeiros. Em 21 junho houve comemoração em alusão ao Dia da Comunidade Nordestina e uma semana depois o mesmo ocorreu para a Comunidade Japonesa. Nessa segunda-feira (3) pastores evangélicos receberam o reconhecimento da Casa.

Jornal Midiamax