Aparelhos serão instalados até outubro

Com prazo até o final de outubro deste ano para instalar pontos eletrônicos a todos os servidores do Município, o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), disse que na hipótese de constatar faltas ou atrasos injustificados, abrirá procedimento administrativo e descontará do salário do funcionário.

“Eu espero que não (haja atrasos e faltas), mas se tiver abriremos processo administrativo. Agora vamos ter controle maior de entrada e saída. Se ele (servidor) tem falta funcional ou não cumpre plano de trabalho que ele se propôs a cumprir, vai descontar. É o justo. Não desconta dos trabalhadores? ”, questionou.

Durante agenda pública na manhã desta segunda-feira (28), ele disse estar consciente de que o ponto eletrônico não garante que o serviço prestado pelo funcionário público seja de qualidade, mas confia na consciência de cada um. O controle de frequência foi determinado pela Justiça, após o MPE-MS (Ministério Público Estadual) ingressar com ação ainda na gestão de Alcides Bernal (PP).Com ponto eletrônico, Prefeitura vai descontar atrasos e faltas de servidores

Na semana passada houve audiência de conciliação entre a Prefeitura e o órgão, na qual ficou definido prazo para instalação e funcionamento dos aparelhos que, ao todo, deve custar R$ 2,7 milhões aos cofres do Município. Outra ação resultou em determinação semelhante, mas abrangendo somente profissionais da saúde.

Os 25 aparelhos já estão na Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) e a previsão é de que estejam funcionando em 90 dias. No Recursos Humanos do setor os servidores já estão ‘batendo o dedo’, como projeto piloto.

O prefeito disse que as medidas tomadas na área da saúde já causam impacto “e a insatisfação de alguns servidores é por causa de mudança de metodologia, mais rígido, fiscalizando, colocando ponto eletrônico, isso tudo incomoda, eles não queriam nada disso”.