Política

VÍDEO: Geraldo bate boca em evento com educadores e acusa Délia

Deputado deixou sindicato sob gritos de golpista

Midiamax Publicado em 29/09/2016, às 11h24 - Atualizado em 18/07/2020, às 00h37

None
geraldo_bate_boca.jpg

Deputado deixou sindicato sob gritos de golpista

Candidato à Prefeitura de Dourados, município distante 228 quilômetros de Campo Grande, o deputado federal Geraldo Resende (PSDB) protagonizou um bate boca ao final da sabatina promovida pelos educadores locais na noite de terça-feira (27). Vídeo divulgado nas redes sociais mostra quando o parlamentar é cobrado por mais respeito às mulheres e responde às acusações de golpista. Ele alega ter sido provocado por apoiadores da vereadora Délia Razuk (PR), sua adversária na disputa.

“Você é um covarde”. Essa foi uma das falas direcionadas ao candidato em trecho da gravação, que mostra ele deixando a sede do Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação de Dourados) sob gritos de “golpista” e “fora Temer”. “Não me intimido quanto a vocês” e “golpistas são vocês” foram duas frases ditas por Geraldo antes de sair do local.

O Jornal Midiamax apurou que o tucano foi hostilizado por um questionamento feito à Délia Razuk no debate da TV Morena, domingo (25), interpretado como machista. Ele perguntou qual seria o papel do marido da vereadora, o ex-deputado estadual Roberto Razuk, num eventual mandato como prefeita, mencionando tratar-se de “um homem muito poderoso” e “uma figura emblemática na cidade”.

Desde essa ocasião, a vereadora e o deputado têm trocado farpas em suas propagandas eleitorais. Ela critica o adversário por desrespeita-la com insinuações de que não tem capacidade administrativa por ser mulher. Ele, por sua vez, reitera que “perguntar não ofende”.

Com essa discussão ainda inflamada na corrida eleitoral de Dourados, a sabatina de terça-feira no Simted terminou com as cobranças direcionadas a Geraldo Resende que culminaram no bate boca registrado em vídeo.

Procurado pela reportagem, o deputado federal garante que não brigou com professores. “Foi com gente infiltrada da candidata Délia Razuk e alguns petistas que não são educadores. Não são profissionais da educação”, assegura.

“Depois que a sabatina foi encerrada, fizeram um 'comes e bebes' e eu inadvertidamente fui tomar um lanche. Alguns que estavam lá gritaram 'fora Temer e Geraldo golpista' e eu respondi que eram viúvas do PT que perderam a boquinha. Eram estudantes de esquerda e muitos perderam a boquinha, os empreguinhos que o PT dava no governo. Também gritaram umas senhoras levadas pela Délia. Eu disse que voto mil vezes pelo impedimento da Dilma. Enquanto os cães ladram a caravana passa”, alegou Gerado.

Confira vídeo (AQUI)

Jornal Midiamax