Política

Vereadores eleitos da Capital participarão de reunião sobre diminuição dos seus salários

Prefeito pediu diminuição também

Evelin Cáceres Publicado em 20/12/2016, às 15h45

None
reajuste.jpg

Prefeito pediu diminuição também

Os vereadores eleitos de Campo Grande e que começarão a atuar em 2017 vão participar nesta terça-feira (20) sobre a discussão da diminuição dos seus próprios salários, a ser votada nesta quarta-feira (21) pelos atuais vereadores em sessão extraordinária.

Presidente da Câmara, o vereador João Rocha (PSDB) disse que os vereadores serão convocados para tratar sobre a cerimônia de posse. Questionado se eles participariam da conversa sobre os salários, Rocha afirmou. “Também vão participar da reunião. Vamos reunir os vereadores às 17h”.

Durante a sessão desta terça, Rocha caminhou pelo plenário, conversando com os vereadores que estavam presentes, um a um. O presidente não quis adiantar se os vereadores aceitarão diminuir os subsídios já aprovados, mas marcou a sessão, que deverá tratar somente deste assunto. 

Prefeito eleito, Marquinhos Trad (PSD) solicitou ao presidente que seu salário fosse diminuído. “Marquinhos alegou a crise financeira e disse que o aumento teria impacto na folha de pagamento da Prefeitura. Então ele pediu que nós avaliasse e vamos ver os nossos também. Não sei ainda em quanto pode diminuir, nem se será consenso diminuir o valor já aprovado no projeto”, esclareceu Rocha.

A partir de 2017, graças a um projeto aprovado ao fim de 2014, os salários passariam de R$ 15.031,76 mensais para R$ 18.956,25. O teto do salário dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) é alterado a cada quatro anos. O limite estabelecido é de 75% do rendimento dos deputados estaduais.

Atualmente, a remuneração dos deputados estaduais de Mato Grosso do Sul é de R$ 25.275,00. Ou seja, 75% do salário dos deputados federais, que ganham R$ 33 mil.

Caso os vereadores mantenham o reajuste, o vencimento do prefeito pode aumentar de R$ 20.412,42 para R$ 25,7 mil e o subsídio dos secretários também subirá 26,3%, de R$ 8,5 mil para R$ 10,7 mil.

Jornal Midiamax