Política

Vereadores disparam contra Bernal: ‘não respeita mandamentos de Jesus’

CI da Semed motivou ida de mães ao legislativo

Ludyney Moura Publicado em 22/11/2016, às 15h08

None
4efd09ea13e77ac09a8744f05cf5a5a1.jpg

CI da Semed motivou ida de mães ao legislativo

A presença da presidente da AMA (Associação das Mães de Autistas) na Câmara da Capital durante a sessão desta terça-feira (22) motivou uma nova rodada de críticas dos vereadores ao prefeito Alcides Bernal.

Helenice Duarte, presidente da AMA, usou a palavra na Câmara para cobrar apoio dos vereadores sobre a CI (Comunicação Interna) da Semed (Secretaria Municipal de Educação) que revela corte de gastos na pasta, com eventual fim do contrato de auxiliares pedagógicos, que atendem alunos especiais.

“Isso fere todos os direitos já garantidos por lei”, afirmou Helenice. Segundo, apesar da Semed afirmar que a CI foi ‘mal interpretada’, a presidente da AMA revelou que até agora ninguém da secretaria informou os pais de alunos especiais sobre a manutenção dos profissionais que prestam apoio pedagógico aos alunos com esta carência.

A fala da mãe de um aluno especial motivou criticas dos vereadores ao prefeito Alcides Bernal (PP). Até mesmo parlamentares da base do progressista cobraram uma resposta do atual Chefe do Executivo.

“A atitude do prefeito não tem explicação. As mães não vieram pedir favor ou recurso, mas sim um direito constitucional. O Bernal é um desalmado, ‘deixai vir a mim às criancinhas’, o Bernal não respeita nem os mandamentos de Jesus, que é amai-vos uns outros”, disparou o vereador Paulo Siufi (PMDB).Relação de prefeito e vereadores é conflituosa desde início do mandato

Carla Stephanini, também do PMDB, cobrou ‘respeito às políticas públicas’, já Luiza Ribeiro (PPS), disse que a prefeitura precisa se organizar para atender os alunos especiais e cumprir a legislação, já que quase um quarto (23,9%) da população da capital tem alguma deficiência.

“Meu Deus ainda bem que está acabando essa gestão, foi a pior que vi na minha vida”, frisou Vanderlei Cabeludo (PMDB). Roberto Durães (PSC) contou aos colegas um problema de saúde vivenciado com suas filhas e sua dificuldade em encontrar apoio no poder público.

“O Bernal não pode sair correndo, em debandada e ver quem fica por último para apagar luz”, disse o presidente da Casa, vereador João Rocha (PSDB), que solicitou às mães documentos para que a Câmara acompanhe o desenrolar da história.

Convocação

O vereador Alex do PT cobrou a convocação da titular da Semed, Leila Cardoso Machado. “Ela tem que dar satisfação a todos nós, tem que prestar contas desse ato estúpido que envergonha a Campo Grande”, disse o petista.

O presidente da Comissão de Educação da Câmara, vereador José Chadid (PSDB), convocou a secretária para dar esclarecimentos sobre o caso, na próxima quinta-feira (24).

Durante as discussões, o vereador Chiquinho Telles (PSD) telefonou ao prefeito eleito de Campo Grande, Marquinhos Trad, também do PSD, para que ele recebesse vereadores e mães para discutir a questão.

Após a sessão, representantes da AMA e da Câmara irão ao gabinete de Marquinhos na Assembleia para discutir a manutenção de auxiliares pedagógicos até o final do ano letivo na Capital. 

Jornal Midiamax