Política

Vereadores barram de redução de salário de R$ 7,5 mil para R$ 2,1 mil

Projeto visava equiparação ao piso nacional de professor

Ludyney Moura Publicado em 15/03/2016, às 13h59

None
camarabelavista.jpg

Projeto visava equiparação ao piso nacional de professor

Não bastou o apelo público para a Câmara de Bela Vista, município distante 325 km de Campo Grande, aprovar o projeto de redução dos salários dos 11 vereadores, de pouco mais de R$ 7,5 mil para R$ 2.135,64, piso nacional dos professores

“Eu estou muito chateado e a população também. Foi um baque (a reprovação). O projeto foi para a Comissão de Constituição e Justiça que opinou pela não tramitação da proposta. Mas, é um projeto constitucional, pois quem decide salário de vereador é a Câmara “, afirmou ao Jornal Midiamax o vereador Johnys Basso (DEM), autor da proposição.

A proposta do democrata previa a equiparação do salário do vereador bela-vistense ao piso nacional dos professores, hoje em R$ 2.135,64. Johnys também queria um corte de 50% no salário do vereador que faltasse às sessões sem justificativa.

Dos 11 vereadores da Câmara de Bela Vista, o autor e os peemedebistas Alcyr Mendonça e Lucinete Leite Lino votaram sim ao projeto, como o presidente não vota, um parlamentar faltou e outro se absteve, a proposta teve cinco votos contrários.

“Vou recorrer na justiça e vou para as ruas conseguir assinaturas para tentar reverter (a votação). Os vereadores votaram em interesse próprio”, afirmou Johnys.

Segundo o vereador, o parecer da Comissão levou em conta um parecer da assessoria jurídica da Câmara, que teria analisado a proposta sem levar em conta a constitucionalidade do projeto.

Caso consiga reverter a decisão dos colegas, o projeto do democrata prevê, segundo ele em respeito ao magistério, reajuste de salários de vereadores sempre condicionado ao piso nacional dos professores.

Jornal Midiamax