Política

Vereador se diz expulso em reunião da Semed e acusa Bernal de ‘despreparo’

Município diz Romero não era convidado oficial para evento

Ludyney Moura Publicado em 31/08/2016, às 14h59

None
unnamed.jpg

Município diz Romero não era convidado oficial para evento

No final do dia da última segunda-feira (29), o vereador Eduardo Romero (REDE), que este tenta a reeleição, participava de uma reunião na Semed (Secretaria Municipal de Educação), quando foi convidado a se retirar do local por um Guardo Municipal, sob alegação de que estaria em campanha.

‘O episódio foi lamentável. A prefeitura está tratando um espaço público como privado. Está colocando as regras que ela acha certo ou conveniente. Eu estava lá como vereador que desde que assumiu o mandato tem trabalhado com estas mães por uma educação especial de melhor qualidade, tanto que temos ofícios não respondidos pela Semed sobre este assunto e iríamos novamente falar sobre o tema’, explicou o vereador.

Romero conta que participava de uma reunião com a Divisão de Educação Especial da secretaria com um grupo de mães de alunos autistas, a convite das genitoras. Ele afirma que foi informado de existe uma portaria do município proibindo presença de políticos nas secretarias, ainda que no cumprimento de ações do mandato parlamentar.

“Estão fazenda confusão entre o que ação política do mandato e ação política de campanha Infelizmente, a visão da prefeitura é pequena e está vendo todo mundo como adversário político e pessoal”, frisou o parlamentar, que na terça-feira (30) divulgou material para imprensa qualificando de 'despreparado' quem está 'à frente da prefeitura'.

Presença

Em nota, a assessoria da administração de Alcides Bernal (PP) afirmou que a reunião era referente a procedimentos de rotina, com devolutivas aos pais dos alunos com autismo, quanto à evolução dos trabalhos realizados.

A gestão de Bernal afirma que foi comunicado ao vereador que sua presença, de forma extraoficial, poderia gerar ‘duplo entendimento’, já que Romero disputa a reeleição, e que é proibida realização de campanha eleitoral em órgãos públicos, motivo pelo qual foi solicitado sua saída do local.  

Prefeitura e vereador pontuam que a saída se deu pacificamente, para garantir a continuidade dos trabalhos entre pais e representantes da secretaria. 

Jornal Midiamax