Política

Vereador está entre pessoas com suspeita de zika vírus em Campo Grande

Segundo ele, tudo está bem agora

Jessica Benitez Publicado em 25/01/2016, às 21h55

None
romero1.jpg

Segundo ele, tudo está bem agora

Como afirma o dito popular 'não está fácil para ninguém'. O vereador Eduardo Romero (Rede) entrou para as estatísticas de doenças causadas pelo Aedes aegypti. Isso porque depois de suspeitar que estava com dengue o exame apontou que na verdade o legislador estava com zika vírus, mas, segundo ele, já está tudo bem.

Vereador está entre pessoas com suspeita de zika vírus em Campo Grande“Depois de uma Zika (fiquei mal) agota estou ótimo” disse em mensagem no aplicativo Whatsapp após enviar convite para o Sarau dos Amigos realizado sempre na última quinta-feira de cada mês. No Facebook o vereador aproveitou para conscientizar a população.

“Já limpou a calha? Eliminou todos os possíveis focos do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya? To aproveitando o horário de verão e fazendo a minha parte também em casa”, escreveu. Os governos, esferas federal, estadual e municipal, tem feito verdadeira força-tarefa para combater o mosquito.

Tanto que no início do mês o ministro da Saúde, Marcelo Castro, veio a Campo Grande lançar o plane de enfrentamento ao aedes ao qual considera o “inimigo número 1 do Brasil”.

Zika – É uma doença viral aguda, transmitida principalmente por mosquitos, tais como Aedes aegypti, caracterizada por exantema maculopapular pruriginoso, febre intermitente, hiperemia conjuntival não purulenta e sem prurido, artralgia, mialgia e dor de cabeça.

Em suma, vem sendo considerada uma doença benigna, na qual nenhuma morte foi relatada e autolimitada, com os sinais e sintomas durando, em geral, de 3 a 7 dias. Não vê sendo descritas formas crônicas da doença.

Jornal Midiamax