Política

Um servidor de Câmara e 5 vereadores foram levados pelo Gaeco para depor

Ação policial chamou a atenção na cidade

Ludyney Moura Publicado em 24/02/2016, às 15h35

None
gaeco_rio_brilhante.jpg

Ação policial chamou a atenção na cidade

Durante operação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) na Câmara Municipal de Rio Brilhante, distante 158 km da Capital, os agentes conduziram coercitivamente a depor cinco vereadores e o gerente administrativo da Casa de Leis.

Levados para sede do Ministério Público da cidade estão os vereadores Sérgio Carlos Martins Rigo (PT), o Serginho Rigo, atual presidente da Casa, Dejair  Gomes (PROS), o Totinha, ex-presidente, Giancarlo Mariano da Rocha (PPS), o Gi, Ademar Luiz Schafer (PSDB), o Ademar do União e Aguinaldo Lima Pereira (PROS), o boiada.

Em nota, o MPE (Ministério Público Estadual) não informou o que deflagrou a operação, mas confirmou que mais de 30 policiais estão na cidade cumprindo os mandatos.

Em 2015, o Gaeco investigou uma suposta ‘Farra das Diárias’ na Câmara. As irregularidades que teriam ocorrido entre 2013 e 2014, durante a gestão de Dejair Gomes, o Totinha, como presidente da Câmara. O problema com os pagamentos indevidos teria ultrapassado a gestão e também seria articulado pelo atual presidente, Sérgio Carlos Martins Rigo. Ambos também teriam negociado a eleição da mesa diretora da Casa.

Na cidade, pessoas se acumulam na Câmara para ver a movimentação do Gaeco, que marcou coletiva para o fim desta manhã no local. 

Confira a nota, na íntegra, do Ministério Público:

"O Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (GAECO/MS), órgão investigativo vinculado ao Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul, e a Promotoria de Justiça de Rio Brilhante, com atribuição no Patrimônio Público, deflagraram operação nesta quarta-feira (24/2/2016) na cidade, em cumprimento aos mandados de busca e apreensão de coisas e documentos na Câmara Municipal e condução coercitiva de pessoas, expedidos pelo Poder Judiciário daquela Comarca, atendendo ao pedido efetuado pelo Ministério Público Estadual."

(Colaborou Maikon Júnior, do Rio Brilhante em Tempo Real). 

Jornal Midiamax