Política

“Tenho sola de sapato”: Marquinhos diz que fará campanha sem barganha e sem dinheiro

Convenção reuniu centenas de pessoas na Avenida Afonso Pena

Jessica Benitez Publicado em 04/08/2016, às 23h51

None
whatsapp_image_2016-08-04_at_20.20.59.jpeg

Convenção reuniu centenas de pessoas na Avenida Afonso Pena

A candidatura do deputado estadual Marquinhos Trad (PSD) à Prefeitura de Campo Grande foi oficializada na noite desta quinta-feira (4) com a presença de centenas de pessoas entre militância e aliados. Durante discurso o parlamentar ressaltou que a campanha não será para esbanjar dinheiro e sim para caminhar pela cidade e ouvir a população.

“Não tenho ouro ou prata, mas tenho sola de sapato para gastar”, disse. Ele fez um resumo dos 21 anos de vida política, quase oito anos como secretário Municipal de Assuntos Fundiários, outros dois na Câmara Municipal e mais 13 na Assembleia Legislativa. “Todos esses anos foram para me preparar para a Prefeitura”.

Como secretário ele conta que entregou a gestão com 21 núcleos e sem favelas. O deputado voltou a falar que não usou dinheiro para conquistar aliados. “Fizemos aliança com honestidade, sem negociar, não sabemos o que significa barganhar”.

União – A convenção tornando-se evento coletivo junto aos aliados PTB, PTdoB e PEN. A bacharel em direito Adriana Lopes (PEN) na função de vice. No começo da semana, quando o ex-prefeito Nelsinho Trad (PTB) formalizou apoio ao irmão, a pastora Janete Moraes chegou a anunciar que lançaria candidatura ao Executivo, desistindo da aliança com o PSD, segundo ela para renovar a política na Capital.

Porém, pouco antes da convenção de hoje voltou atrás e firmou parceria com a sigla. Adriana, que nunca teve mandato, avalia positivamente a 'inexperiência'. “Isso favorece e estou preparada, especialmente pela experiência que tenho na área social”.

Já Marquinhos alegou que o foco será resgatar a autoestima da população campo-grandense, com projeto voltados à saúde e educação, “mas nosso plano de governo abrange todas as áreas”.

O presidente municipal do PSD, Robson Gatti, disse que pelo menos 200 nomes serão candidatos a vereador e a chapa proporcional conta com PHS, PTdoB, DEM e PTB. Na majoritária serão PTB, PEN, PMN e PRTB.

O dirigente regional, Antônio Lacerda, avalia que está será oportunidade de tirar Campo Grande do caos. “Hoje estamos dando importante passo para consolidação de um projeto eficiente para Campo Grande, para que possamos voltar a se orgulhar da nossa cidade que a situação atual causa tristeza”.

Jornal Midiamax