Política

Relator diz que renegociação das dívidas foi pactuada, não imposta pelo governo

Deputado negou haver prejuízo a governadores 

Midiamax Publicado em 09/08/2016, às 23h20

None
esperidiao.jpg

Deputado negou haver prejuízo a governadores 

O relator do projeto de renegociação das dívidas dos estados (PLP 257/15), deputado Esperidião Amin (PP-SC), apresentou novas alterações ao seu parecer, contemplando emendas apresentadas por deputados. 
Amin rebateu as críticas que o texto recebeu e negou haver prejuízo a governadores.

“As modificações que constam do projeto fazem parte do acordo assinado pelo governo federal e por 21dos governadores de estado e do Distrito Federal. Se não é um acordo federativo unânime, é um acordo assinado por 21 dos 27 governadores do Brasil. Portanto, não é verdade que o governo selecionou quem atender”, afirmou.

O líder do PCdoB, deputado Daniel Almeida (BA), afirmou que o seu estado sairá prejudicado, já que não fez parte do pacto, e cobrou compensações. “Se querem manter o pacto federativo essencial, teríamos de ter no mínimo uma compensação no fundo de participação dos estados para aqueles que cumpriram o dever de Casa, e ficaram de fora da renegociação”, afirmou.

Quem acusou o governo de selecionar os beneficiados pela proposta foi o deputado Silvio Costa (PTdoB-PE). “Está contemplando a irresponsabilidade de alguns governadores e colocando no debate a proibição dos servidores públicos exercerem sua cidadania, as suas conquistas”, criticou.

Jornal Midiamax