Política

Pedido de impeachment contra Bernal deve ser respondido nesta semana na Câmara

‘Pedaladas fiscais’ embasam denúncia

Evelin Cáceres Publicado em 01/08/2016, às 13h29

None
rocha.jpg

‘Pedaladas fiscais’ embasam denúncia

O pedido de impeachment contra o prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP) deve ser analisado ainda nesta semana na Câmara, segundo presidente da Casa, vereador João Rocha (PSDB) afirmou nesta segunda-feira (1º) durante agenda com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

Baseado nos convênios sucessivos das entidades terceirizadas SSCH (Seleta Sociedade Caritativa e Humanitária) e Omep (Organização Mundial para Educação Pré-Escolar), o pedido sugere que Bernal tenha cometido pedaladas fiscais durante a sua gestão.

“O pedido foi protocolado e está tramitando. Ele é analisado pelo apoio legislativo, vai à procuradoria e aí é despachado na presidência para ver se procede ou não. Isso segue o andamento natural e legal que o regimento interno estabelece, mas ainda não tive acesso à denúncia”, comentou Rocha.

De acordo com o presidente, o parlamentar disse ter ficado sabendo que o pedido alega improbidade administrativa dos desmandos do prefeito em relação à Seleta, Omep, pedaladas fiscais e por não responder aos requerimentos. “No geral, algumas artes que o prefeito faz e não tem necessidade de fazer”, avaliou João Rocha.

O pedido, ao qual o Jornal Midiamax teve acesso, solicita a instauração do processo de impeachment ou investigação contra Bernal por causa da “contabilidade criativa” e solicita que a Prefeitura seja intimada para exibir o convênio originário e os aditivos desde 1997, além dos demonstrativos de folhas de pagamentos e comprovantes de recolhimento de conta patronal da Seleta e Omep.

Jornal Midiamax