Política

Para pôr fim a impasse, Reaja Brasil não vai dar ‘palavra’ a políticos

Todos são bem vindos, afirmam organizadores

Ludyney Moura Publicado em 11/03/2016, às 16h35

None
protestos.jpg

Todos são bem vindos, afirmam organizadores

A presença de políticos em atos do movimento Reaja Brasil, composto pelos movimentos Pátria Livre Democrático Pró Impeachment, suscitou disputas judiciais, entre organizadores. Todavia, a proibição de discursos de políticos com mandato promete unificar os manifestantes.

“Todos os cidadãos são bem vindos à manifestação, dever de todo brasileiro, ato cívico, caso tenha participação de políticos, como cidadãos, serão bem vindos, porém os políticos não terão espaço para falar”, revela Maria Tereza Ferreira, uma das responsáveis pelo Reaja Brasil.

Segundo ela, o objetivo maior do grupo é mudar o atual comando do Governo Federal, seja por impeachment, renúncia da presidente Dilma Rousseff (PT) ou cassação por parte do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Os organizadores esperam que pelo menos 70 mil pessoas compareçam às ruas no próximo domingo. “O movimento é um só”, alega Maria Tereza.

Apesar da concentração dos dois grupos estar marcada para lugares diferentes, o Chega de Impostos vai se concentrar no Obelisco e o Reaja Brasil na Praça do Rádio Clube, a organizadora garante que presença dos carros de som, quatro ou cinco já garantidos, não será problema.

Os discursos dos organizadores só serão feitos na dispersão, marcado para os altos da Avenida Afonso Pena. E apesar dos políticos não terem direito à fala, Maria Tereza explica que a adesão deles ao movimento é importante, já que, por exemplo, o impeachment de Dilma depende diretamente da votação na Câmara Federal. 

Jornal Midiamax