Política

Para não ficar ‘refém de eleitor’, prefeito desiste de reeleição

‘Acaba sendo bonzinho e não governa’

Midiamax Publicado em 26/02/2016, às 10h40

None
231970_18760_61278.jpg

‘Acaba sendo bonzinho e não governa’

O prefeito de Aquidauana, José Henrique Trindade (PDT), não vai disputar a reeleição. Diante da crise que o Brasil inteiro passa, o prefeito decidiu desistir, alegando que assim não ficará refém do eleitor, como muitos acabam ficando.

“Em uma crise desta, um prefeito candidato a reeleição quebra. Acaba fazendo um monte de situação que não é necessária. É contratação, emprego e o Município não aguenta, porque está no limite”, declarou.

Segundo o prefeito, com a necessidade de se reeleger, o chefe do Poder Executivo acaba cedendo e complicando o Município. “Acaba sendo bonzinho, fazendo política e não governa como deveria ser. Fica refém do eleitor. Para o município isso é um desastre”, justificou.

Trindade também alega que já foi prefeito de 1993 a 1996, vice-prefeito em duas oportunidades e secretário. “Já dei minha contribuição. Não está fácil não. É hora da gente parar”, declarou. Indagado se vai se aposentar da vida política, Trindade disse que isso já não pode garantir. “Aposentar, não sei”, concluiu.

José Henrique Trindade perdeu a eleição para Fauzi Suleiman (PMDB) em Aquidauana,mas acabou assumindo o mandato com a cassação dele. Após isso também correu risco de ser cassado, após suspeita de ter sido favorecido pelo deputado estadual Felipe Orro (PDT), que segundo denúncia, utilizava funcionários dele para campanha.

 Trindade chegou a ser cassado, mas depois conseguiu reverter a situação. O Tribunal Regional Eleitoral reduziu a pena de R$ 50 mil para R4 25 mil UFIR’s e excluiu a sentença de cassação dos diplomas.

Jornal Midiamax