Política

Organizadores apostam em manifestação ‘pacífica’ no domingo

PT orienta militância a não comparecer

Jessica Benitez Publicado em 11/03/2016, às 12h16

None
protesto.jpg

PT orienta militância a não comparecer

Grupos que organizam protesto no próximo domingo (13) apostam na adesão de cerca de 100 mil pessoas, mas acreditam que mesmo diante do grande público não deve haver confronto, pancadaria ou depredação do patrimônio público como é de costume nos grandes centros. Eles têm como base manifestações anteriores que não registraram atos de violência.

De qualquer forma, a Polícia Militar já foi acionada, bem como a Bptran (Polícia Militar de Trânsito) para garantir a segurança dos manifestantes. “Nosso povo é pacífico e ordeiro. As pessoas estão indo apenas para colocar a insatisfação com o momento em que o País vive. Queremos que todos levem seus familiares para um movimento cívico”, disse Maria Tereza Ferreira integrante do grupo Pátria Livre.Organizadores apostam em manifestação 'pacífica' no domingo

Fabrícia Salles do movimento Avança Brasil tem a mesma opinião. Ela destaca que, embora ontem tenha ocorrido desentendimento entre os grupos, tudo não passou de embate verbal porque “não é da nossa índole partir para violência” e, por isso, assim será no domingo. “Não faz parte da índole do campo-grandense. Nosso ida é para mostrar que estamos vivos”.

A organizadora pontua, ainda, que não se trata de protesto contra o PT em si, mas sim aos que estão no comando do Brasil. “Seja quem for, pode ser PSDB, PMDB, não importa o partido, vamos cobrar os representantes que foram eleitos pelo povo. Chega desse negócio de vossa excelência, autoridade somos nós”, completou.

Grupos de delegados da PF (Polícia Federal) e de estudantes de medicina organizaram 'blocos'. A orientação para população é de  que as camisetas sejam das cores da bandeira.

De acordo com o deputado estadual Pedro Kemp (PT) a orientação dos parlamentares em todo o Brasil é de que militantes do PT não façam manifestações no mesmo dia também para evitar confronto. Nesta quinta-feira (10) o presidente nacional da sigla, Rui Falcão, convocou atos para os dias 18 e 31 deste mês.

Protesto – Os organizadores da manifestação marcada para o próximo domingo (13) às 14h na Praça do Rádio querem que pelo menos 100 mil pessoas saiam às ruas. O Movimento Reaja Brasil tem como base outros atos feitos em anos anteriores. Vale ressaltar que, segundo eles, trata-se de protesto apartidário.

São apoiadores a Maçonaria, favela Cidade de Veredas da Fé, Fecomércio (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso do Sul), Bptran, ACICG (Associação Comercial e Industrial de Campo Grande) e Setlog (Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logísticas de MS).

Jornal Midiamax