Política

Obra-problema: com parte elétrica comprometida, Aquário será revisto

Governo procura empresa que fará revisão

Jessica Benitez Publicado em 23/06/2016, às 19h40

None
aqua.jpg

Governo procura empresa que fará revisão

Previsto para inaugurar no final de 2011, o Aquário do Pantanal ainda vai sofrer alterações antes que a obra seja concluída. De acordo com o secretário Estadual de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, a parte elétrica, por exemplo, terá que ser revista por completo. Para isso o governo estuda orçamentos de empresas que possam fazer essa revisão. Depois será definido se a reestruturação vai ser feita pela própria Egelte Engenharia ou outra companhia será inserida na construção.

Miglioli alega que deixar a cargo da Egelte, responsável pela obra como um todo, mas para isso é necessário averiguar se é possível juridicamente. “Nossa vontade é incluir tudo num único contrato, todos os serviços. Porque facilita a questão operacional, a fiscalização, de forma que a obra seja conduzida com mais tranquila”, explicou o titular da Seinfra.

Também é desta revisão que saíra o valor que resta para, enfim, concluir a obra inicialmente estimada em 18 meses. Em relação às empresas Fluidra Brasil e Climatec, o Executivo vai avaliar se cabe a elas ou aos cofres públicos os reparos no que já foi feito e perdido devido a paralisação da construção.

Ele esclarece, porém, que “o Estado é que resolveu paralisar de uma vez porque não tinha mais como continuar”. Isso porque a Egelte deixou a obra ainda na gestão de André Puccinelli (PMDB) para dar lugar a Proteco Construções, mais tarde investigada pela Operação Lama Asfáltica. Há quase um ano o MPE e MPF (Ministérios Públicos Estadual e Federal) recomendaram que todos os contratos com a empresa fossem suspensos.

Jornal Midiamax