Política

Justiça suspende multa que seria aplicada a advogado de Olarte

Ele apresentou justificativa

Jessica Benitez Publicado em 06/09/2016, às 17h33

None
Jail Azambuja (Midiamax/Arquivo)

Ele apresentou justificativa

O desembargador Luiz Claudio Bonassini suspendeu parte da decisão que proferiu no último dia 25. O advogado do vice-prefeito afastado Gilmar Olarte, Jail Azambuja, não terá mais que pagar multa de R$ 8,8 mil.

O despacho foi feito porque havia suspeita de que o defensor tinha tentado protelar por duas vezes o andamento da ação de corrupção passiva, oriunda da Operação Adna, conhecida como caso dos cheques em branco.

Na justificativa Jail alegou que “deve ser salientado que a questão de ordem levantada diz respeito à defesa de mérito do requerente e não pode ser considerada qualquer tipo de manobra, já que apresentada tempestivamente no prazo assinado para as alegações finais”.

Ele alega, ainda, que devido à prisão de Olarte e sua esposa, Andreia, houve atraso para o cumprimento dos prazos fixados nos autos.

“Por isso, com a restrição à liberdade de locomoção e a necessidade premente de defesas, como medidas em face de doenças e recursos contra a própria decisão de prisão, bem como também para acompanhar longos depoimentos no GAECO, apresentou-se impossível apresentar as alegações finais”. A defesa já foi apresentada.

O desembargador também havia determinado que a tentativa de manobra fosse relata à OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) para que fossem tomadas as devidas providências, contudo essa parte decisão também foi suspensa pelos motivos já elencados. 

Jornal Midiamax