Política

Justiça nega pedido de Geraldo para barrar pesquisa contratada por Renato Câmara

Levantamento deve ser divulgado na quinta-feira

Midiamax Publicado em 06/09/2016, às 19h48

None
geraldo_e_renato.jpg

Levantamento deve ser divulgado na quinta-feira

O juiz Jonas Hass Silva Junior, titular da 43ª Zona Eleitoral de Dourados, distante 228 quilômetros de Campo Grande, negou o pedido de liminar apresentado pela Coligação Compromisso de Verdade, liderada pelo deputado federal Geraldo Resende (PSDB), na tentativa de barrar pesquisa de intenção de votos para a Prefeitura de Dourados. O levantamento encomendado pelo deputado estadual Renato Câmara (PMDB), adversário do tucano na disputa, deve ser divulgado na quinta-feira (8).

O Jornal Midiamax apurou que a coligação de Geraldo Resende ofertou “representação à divulgação de pesquisa eleitoral, com pedido liminar em face de Instituto Verita Ltda EPP e Coligação Coragem Para Mudar Dourados, alegando que o representado instituto extrapola o seu direito, descumprindo a legislação eleitoral, na Pesquisa Eleitoral registrada sob o n. MS-09497/2016, à medida que não encaminhou em seu registro o arquivo de detalhamento de bairros”.

A denúncia da chapa tucana cita ainda que a “pesquisa induz o eleitor erro, desvirtuando a verdadeira intenção da pesquisa eleitoral, afirmando que a quantidade de eleitores que serão entrevistados é mínima, que há inconsistência com a margem de erro e que existem nomes de pessoas que não são candidatos com o claro objetivo de confundir o eleitor, além de alegar a imparcialidade da pesquisa contratada por candidato diretamente interessado no resultado”.

É a segunda vez que o candidato do PSDB aciona a Justiça Eleitoral contra uma pesquisa de intenção de votos à Prefeitura de Dourados. Na outra ocasião, teve a solicitação atendida e barrou a divulgação do levantamento. Agora, contudo, o magistrado negou o pedido de liminar apresentado pelo advogado da coligação liderada por Geraldo Resende.

“Não cabe razão à requerente. O pedido de liminar não deve ser deferido. Em uma prévia análise do disposto nos artigos citados acima não há nenhuma irregularidade com a presente pesquisa impugnada, não se vislumbra no caso o fumus boni iuris e o periculum in mora alegados”, ponderou o juiz eleitoral.

Com essa negativa judicial, a pesquisa realizada com 608 entrevistados do dia 3 a esta terça-feira (6) deve manter o cronograma para divulgação na quinta-feira (8). 

Além de Geraldo Resende e Renato Câmara, também concorrem ao cargo de prefeito de Dourados a vereadora Délia Razuk (PR), o professor Ênio Ribeiro (PSOL) e o servidor municipal Wanderlei Carneiro (PP).

Jornal Midiamax