Política

Impeachment: senadora de MS tem pressa em votação e prevê aprovação do relatório

Simone diz que bancadas se mobilizam para finalizar votação nesta terça

Midiamax Publicado em 09/08/2016, às 20h55

None
simone.jpg

Simone diz que bancadas se mobilizam para finalizar votação nesta terça

Única representante do Mato Grosso do Sul que já apresentou seu voto na sessão que decide sobre o relatório do impeachment, a senadora Simone Tebet disse que está confiante na aprovação e espera que a decisão seja concluída ainda nesta terça-feira (9). Segundo a parlamentar, a expectativa é de pelo menos 58 votos favoráveis à cassação da presidente Dilma Roussef (PT).

De acordo com Simone Tebet, algumas bancadas que possuem parecer favorável ao impeachment se organizam para dar voz a um único representante, de modo que os trabalhos sejam concluídos mais depressa. “Como era uma das primeiras a votar já dei meu parecer, mas agora entramo em um consenso para que um senador represente toda a bancada do PMDB. Outras legendas também sinalizam isso para adiantar o término da votação”, explica.

Favorável ao impeachment de Dilma e a manutenção de Michel Temer na presidência desde que o relatório passou a ser analisado pelo Senado, a parlamentar afirma que tem certeza dos crimes cometidos e segue defendendo o afastamento da petista. “Os dois fatos existiram. Está claro que houve ação e omissão dolosa por parte da presidente e por lei, isso resulta em cassação do mandato”, afirma.

Para Simone, as pedaladas fiscais e supostos prejuízos aos cofres públicos causados pelo governo de Dilma vão além do que aponta o relatório, que por si só, já é suficiente para cassação segundo ela. “O relatório do impeachment considera o ano de 2015, mas é um crime continuado, onde entraria também os anos de 2013 e 2014. Ainda assim só em 2015, o governo fechou com R$ 118 bilhões de meta fiscal negativa. Isso é o mesmo que cortar o Brasil e contribuir para o aumento contínuo da dívida”, completou.

Relatório

O relatório da comissão especial de impeachment, elaborado pelo senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), acolhe partes da acusação de crime de responsabilidade contra Dilma Roussef. A denúncia é de autoria dos juristas Miguel Reale Júnior, Janaína Paschoal e Hélio Bicudo.

Para ser aprovado, o parecer precisa dos votos da maioria simples dos senadores. Ou seja, metade dos presentes à sessão mais um. Pelo menos 41 senadores precisam estar presentes na votação. Ao todo são 81 senadores e segundo Simone Tebet dois justificaram ausência e o presidente também não deve votar na sessão de hoje. Cada um tem 10 minutos para discursar, embora não sejam obrigados.

Após a discussão do parecer, os autores da denúncia contra a presidente afastada disporão de 30 minutos para apresentar os seus argumentos.

Logo depois, será a vez de a defesa subir à tribuna do Senado para fazer suas alegações, também em 30 minutos.

Jornal Midiamax