Política

Herculano entrega carta de renúncia para assumir mandato de deputado estadual

Ele assume vaga de Guerreiro que também renunciou na AL

Celso Bejarano Publicado em 20/12/2016, às 14h35

None
borges_herculano.jpg

Ele assume vaga de Guerreiro que também renunciou na AL

O vereador em Campo Grande Herculano Borges, do SD, entregou na sessão desta terça-feira (20) carta renúncia ao presidente da Câmara Municipal, João Rocha, do PSDB.

Borges assume vaga de deputado estadual no lugar do parlamentar Ângelo Guerreiro, do PSDB, que deixa a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul para assumir a prefeitura de Três Lagoas, mandato conquistado em outubro passado. Borges é o suplente da coligação de Guerreiro.

Ao entregar o cargo o vereador foi elogiado à exaustão pelos colegas. Herculano Borges nem sequer havia disputado a reeleição deste ano, tamanho era o favoritismo de Guerreiro na disputa pela prefeitura de Três Lagoas. Ele foi vereador por duas vezes e disse que a ida para o parlamento estadual era um sonho político que nutria há tempos.

A carta de renúncia do vereador foi antecipada para que fique a disposição paa assumir no parlamento estadual, já que Angelo Guerreiro também renunciou ao seu mandato nesta data para por falta de tempo para vir para a Capital prestes a assumir a prefeitura de Três Lagoas.

Até então Borges seguiria na Câmara normalmente até quinta-feira (22), última sessão no ano na casa e tomaria posse em fevereiro na AL, mas pela antecipação de Guerreiro ele já renunciou. 

O presidente da AL, deputado estadual Junior Mochi (PMDB) confirmou há pouco que Guerreiro renunciou e que ele ja fez o pedido da convocação de Borges. "Se ele vir e trazer toda sua documentação e carta de renúncia, ele pode ser empossado amanhã mesmo, [quarta-feira (21)] e já participa da sessão normalmente", disse Mochi.

Com a renúncia de Herculano, o presidente da casa de leis municipal, vereador João Rocha (PSDB) disse que vai conversar com a suplente de Borges par ver se ela quer assumir em apenas um ou dois dias. Neste caso, quem entraria seria Juliana Zorzo (PSC). "É um direito dela, então vamos conversar".

Matéria atualizada às 13h34 para acréscimo de informações.

Jornal Midiamax