Política

‘Extremamente negativo’, diz Pedro Chaves sobre ações de Dilma para retardar impeachment

Presidente afastada recorreu à OEA

Midiamax Publicado em 12/08/2016, às 14h48

None
pedrochavesposse003.jpg

Presidente afastada recorreu à OEA

Depois de votar favoravelmente à transformação da presidente Dilma Rousseff em ré no Senado, em mais uma etapa do processo de impeachment, o senador sul-mato-grossense Pedro Chaves (PSC), criticou hoje as ações da petista para frear o andamento da apreciação no Senado, que caminha para a destituição dela. Na quarta-feira, Dilma Rousseff recorreu à OEA (Organização dos Estados Americanos) para suspender o processo no Senado.

“Vejo como algo extremamente negativo para a imagem do País, pois todo o processo foi legal e teve o referendo do STF (Supremo Tribunal Federal), a principal corte jurídica do País”, afirmou o senador ao Jornal Midiamax. Pedro Chaves considera que esse tipo de atitude da defesa de Dilma 'denigre' o País lá fora.

Para o parlamentar, além de ser ruim para o Brasil, a tentativa é inútil para a própria presidente afastada. “Ela pode apelar para a Corte de Haia, mas não vai adiantar. É irreversível pois as decisões do Brasil são soberanas”, afirma.

Quando assumiu a o posto de senador, com o processo de impeachment em curso, Pedro Chaves afirmou que estava em dúvida sobre como se posicionar e que preferia conhecer as acusações. Agora, disse ter certeza que a presidente afastada cometeu irregularidades, na forma de pedaladas fiscais, e chegou a usurpar as funções do legislativo.

Chaves disse que fez sua análise também com base no desempenho do governo dela, que considera muito ruim, e também citou o fato de Dilma, em sua opinião, ter cometido “estelionato eleitoral”, ao apresentar ao país, durante a campanha de 2014, uma realidade bem diferente da de crise.

Para ele, o País só volta a se recuperar quando for virada essa página do impeachment. Ele avalia que isso ocorre ainda este mês.

O advogado José Eduardo Cardozo, responsável pela defesa de Dilma, tem até as 13h40 desta sexta-feira para entregar o documento à Secretaria-Geral da Mesa.

Jornal Midiamax