Política

Entidades querem celeridade na aprovação de projeto que prevê repasses

Instituições levaram contas de luz ao plenário

Ludyney Moura Publicado em 31/03/2016, às 14h39

None
camara9ae6d4b4e294cbe63a816c2c5fad775f.jpg

Instituições levaram contas de luz ao plenário

Diversas entidades sociais que recebem dinheiro da Prefeitura de Campo Grande estão na Câmara da Capital cobrando dos vereadores celeridade na aprovação de projetos que garantem o repasse para sustento e execução dos serviços prestados à comunidade.

A coordenadora do Fórum de Entidades Não Governamentais, Sueli Gomes, usou a tribuna da Câmara dos Vereadores da Capital  para cobrar uma ação efetiva do legislativo para o repasse às entidades que estão sem receber da prefeitura desde janeiro deste ano.

“A situação está precária de modo de geral. Algumas instituições já tiveram corte de energia”, disse Sueli aos parlamentares.

A vereadora Carla Sthephanini (PMDB) o projeto de suplementação orçamentária que prevê os repasses deu entrada na Câmara no dia 15 de março para ser votado. Segundo ela, já há verba destinada especificamente para este tipo de pagamento, e a prefeitura teria juntado recursos em um único relatório, o que impediu sua votação.

“O problema é que a prefeitura incluiu na suplementação sobra do fundo de 2015. Para o pagamento de 2016 não havia necessidade disso. Queremos que ele (prefeito) nos discrimine  de forma clara as entidades que serão beneficiadas, valores e fontes do pagamento”, declarou a peemedebista.

Para Luiza Ribeiro (PPS), a demora na votação do projeto tem cunho político. “Já vi suplementações do Executivo entrar na Casa e ser votada no mesmo dia. Para mim falta compromisso. Como tem dinheiro do ano passado, precisamos que a Casa aprove o uso em 2016. Está simples de resolver”, afirmou.

Edil Albuquerque (PMDB) afirmou que os vereadores poderiam votar o projeto tão logo a prefeitura enviasse respostas às solicitações feitas pelo legislativo. 

Jornal Midiamax