Política

Entidade de servidores ‘dos maiores salários’ será recebida por Riedel

Demais categorias falaram com Rose, e após pressionar

Ludyney Moura Publicado em 01/03/2016, às 12h18

None
rudney_-_feserp.jpg

Demais categorias falaram com Rose, e após pressionar

O anúncio de que a Feserp (Federação Sindical dos Servidores Públicos Estaduais e Municipais de Mato Grosso do Sul) vai se encontrar nesta terça-feira (1) com o secretário de governo Eduardo Riedel causou reação entre representantes de algumas categorias do funcionalismo. Recentemente membros do Fórum Estadual de Servidores teve de fazer pressão e anunciar um 'tereré' na governadoria para conseguir uma agenda com a vice-governadora, Rode Modesto.

“Nós vamos discutir salários com o secretário de governo, Eduardo Riedel”, confirmou o presidente da Federação, Rudney Vera de Carvalho. O encontro acontecerá na governadoria no final da manhã desta terça-feira (1), e é apontado como sinal de 'desprestígio' para umas categorias em detrimento de outras.

"Essa Feserp reúne as categorias com os maiores e melhores salários do governo. Eles mandarem o resto dos servidores para uma agenda protocolar com a vice, que não apita, não participa ativamente da negociação salarial, pegou muito mal", reclama um representante sindical que pede para não ser identificado. "Se expor agora é enterrar a briga da minha categoria".

Entidade de servidores 'dos maiores salários' será recebida por Riedel

A Feserp, no entanto, segundo diz o presidente, representa cerca de 25 mil servidores estaduais, e agrega 12 sindicatos de diversas categorias.

No mês de fevereiro, garantiu o reajuste pedido pela Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) e também abriu negociação com o Fórum dos Servidores, outra entidade que diz representar 16 sindicatos de funcionários do Estado.

Parâmetros de negociação, bem como valores e reajustes pedidos pelos servidores serão revelados no encontro entre os sindicalistas e o secretário de governo da administração Reinaldo Azambuja (PSDB).

Jornal Midiamax