Política

Emenda de última hora deve deixar salário de vereadores entre R$ 16 mil e R$ 18 mil

Projeto já aprovado eleva remuneração para R$ 19 mil

Jessica Benitez Publicado em 20/12/2016, às 21h09

None
camara_plenario_4.jpg

Projeto já aprovado eleva remuneração para R$ 19 mil

Já tramitam na Câmara Municipal dois projetos de leis que preveem a continuidade dos salários dos vereadores, prefeito e secretários nos atuais valores, R$ 15,3 mil, R$ 20,4 mil e R$ 11,6 mil, respectivamente. Outro diz respeito somente ao congelamento do atual valor pago ao Legislativo de R$ 15.032 mil. No entanto os textos não garantem que a remuneração ficará nesta média.

A intenção é que na hora da votação haja alteração do reajuste salarial, porém que não atinja os R$ 19 mil já aprovados em 2014 e que entra em vigor no próximo mês. Sendo assim, para eles, não haverá aumento e sim diminuição da folha. “Não sabemos ainda, pode ser R$ 16 mil, R$ 17 mil ou R$ 18 mil. Temos que conversar com todos”, disse o presidente da Casa de Leis, João Rocha (PSDB).

A votação ocorre em sessão extraordinária convocada para às 9h desta quarta-feira (21). Inicialmente os textos entrariam em pauta na quinta-feira (22), quando acaba este mandato, mas houve antecipação.

A informação nos bastidores é de que há receio de protestos. Nas redes sociais há grupos se mobilizando para ir até o parlamento e pressionar para que haja congelamento do valor.

A argumentação por parte dos vereadores é que diante do reajuste para R$ 19 mil, já aprovado em 2014, uma elevação menor, de R$ 16 mil a 18 mil, já seria redução do pagamento. A modificação nos projetos em tramitação pode ocorrer por meio de emendas.

Vereadores defendem que o salário aprovado há dois anos pela Casa de Leis é legal, tem base na constituição e representa 75% da remuneração dos deputados estaduais, como prevê a lei. Contudo, concordam diante da crise politica e financeira pela qual o Brasil passa, a elevação não seria bem vista pela população.

Jornal Midiamax