Política

Eleição ‘tira’ cinco secretários de Bernal, que planeja minirreforma

Integrantes do 1º escalão pretendem se candidatar

Jessica Benitez Publicado em 01/04/2016, às 20h43

None
paulo_pedra.jpg

Integrantes do 1º escalão pretendem se candidatar

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), terá que fazer uma minirreforma no secretariado da Prefeitura devido as desincompatibilizações que vão ocorrer até junho para os titulares que querem concorrer na eleição deste ano. De acordo com o secretário de Governo e Relações Institucionais, Paulo Pedra (PDT), além dele, também vão pedir para sair outros três titulares.

No mês passado o então diretor-presidente da Funsat (Fundação Social do Trabalho de Campo Grande), Aldo Rabelo, pediu para ser exonerado justamente para ficar à disposição do PPS partido pelo qual é suplente de vereador atualmente. Agora será a vez do advogado Wilton Acosta, titular da pasta de Juventude desde outubro passado, sair da gestão de progressista.

“Hoje à noite vai ser meu último evento. Vou sair na segunda-feira. Sou pré-candidato a vereador e, se meu partido quiser, a confirmação será feita após reunião em junho”, explicou ele que em 2014 compôs chapa como 2° suplente de senador pelo PP ao lado de Bernal que, à época cassado, disputou o cargo.

Embora tenha sofrido cassação no ano passado sob acusação de compra de votos, Pedra, que recorre da decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), também vai deixar o Executivo para tentar viabilizar candidatura. O secretário de Administração, Ricardo Ballock (PRB) engrossa a lista. Em 2008 ele foi candidato a vereador, porém sem sucesso.

Por fim, a responsável pela Sedesc (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico), Dharleng Campos (PP), também vai arriscar um lugar na Câmara Municipal. Em 2014 ela pleiteou cadeira na Assembleia Legislativa, mas também não conseguiu se eleger.

Jornal Midiamax