Política

Dono de boate citado em Lava Jato vai depor nesta terça à Polícia Federal

Ele estaria viajando

Jessica Benitez Publicado em 26/09/2016, às 21h45

None
cance2.jpg

Ele estaria viajando

Vai depor à Polícia Federal nesta terça-feira (27) o empresário Thiago Nunes Cance. De acordo com informações da assessoria da PF, ele não compareceu nesta manhã. Informações extraoficiais dão conta de que o sócio da Move Club e da antiga Woods estaria viajando.

Thiago é um dos alvos da 35ª fase da Operação Lava Jato, a Omertà, e há mandado de condução coercitiva para ouvi-lo. De acordo com as investigações, ele, que é filho de Aurélio Cance, ex-diretor de Planejamento da Sanasa (Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A), que atua no interior paulista, e que chegou a ser condenado por corrupção, formação de quadrilha e fraude em licitação, pode estar envolvido no pagamento de propina desviada de obras públicas.

Segundo a PF, há indícios nos autos de que a Construtora Odebrecht, ‘por intermédio do Setor de Operações Estruturadas, tenha realizado pagamentos de vantagens indevidas para funcionários da Sanasa em virtude de contratos da empresa com o órgão público, nas pessoas de Rovério Pagotto Júnior e Thiago Nunes Cance, não podendo ser afirmado, por ora, se tais indivíduos receberam recursos espúrios e em espécie em benefício próprio ou para terceiros’, diz trecho do relatório.

Thiago Cance é sobrinho de André Luis Cance, ex-secretário estadual de fazenda da gestão de André Puccinelli, e que chegou a ser preso durante as Operação Lama Asfáltica, também suspeito de desviar recursos públicos.

Jornal Midiamax