Política

Donizeti classifica de ‘provocação’ pedido de prisão de Lula e critica oposição

Senador Donizeti Nogueira (PT-TO) 

Diego Alves Publicado em 11/03/2016, às 02h38

None
senado.jpg

Senador Donizeti Nogueira (PT-TO) 

O senador Donizeti Nogueira (PT-TO) classificou de "provocação" o pedido de prisão preventiva do ex-presidente Lula, feito pelo Ministério Público de São Paulo. Segundo ele, trata-se de pedido "sem provas, sem nenhuma sustentação jurídica". Em discurso nesta quinta-feira (10), Donizeti negou que o ex-presidente esteja incitando a militância a ir às ruas para confronto. Para ele, o pedido de prisão tem conotação política.

— O [ex] presidente Lula não provocou nada. Ele reagiu, de forma moderada, com um instrumento que lhe cabe, que é a mobilização social — argumentou Donizeti.

Em apartes, outros senadores do PT criticaram a denúncia e o pedido de prisão. Paulo Rocha (PT-PA) alertou para a possibilidade de ações desse tipo acirrarem os ânimos.

— Isso [pedido de prisão] é uma provocação grave, uma provocação que está chamando esta polarização para as ruas. O que eles querem é provocar. Forças de direita querem encontrar uma justificativa para ampliar o golpe, para ampliar a possibilidade de uma intervenção mais dura no nosso país.

Jorge Viana (PT-AC) afirmou que existe "uma ação orquestrada, uma verdadeira caçada ao presidente Lula e à sua família". Ele ressaltou que o papel do Ministério Público é apurar e, se for o caso, denunciar. Mas coloca "sob suspeição" essa ação específica, já que o promotor público, Cássio Conserino, teria sido anunciado sua intenção na revista Veja.

Discurso de Aécio

Donizeti Nogueira também condenou as críticas feitas ao PT pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG), em discurso da tribuna do Senado, no dia anterior. Donizeti definiu o pronunciamento de Aécio como um somatório confuso de falácias, sofismas, inversões e invencionices.

O senador petista disse que a inflação e a taxa de juros atuais são menores que os índices verificados em 2002, no governo Fernando Henrique Cardoso. Também destacou o aumento das atuais reservas cambiais e os avanços sociais ocorridos no governo Lula, como a criação de escolas e universidades.

— Fomos nós, do PT, que geramos cerca de 22 milhões de empregos de boa qualidade para os brasileiros. Mesmo com a queda no ano passado, ainda temos um saldo positivo enorme. É que nós, do PT, não esquecemos do povo — disse Donizeti.

Jornal Midiamax