Política

Deputado Pedro Kemp espera que Senado reverta situação do processo de impeachment

Para ele, ficou claro nesse domingo, que o processo é político e não jurídico

Midiamax Publicado em 18/04/2016, às 14h05

None
Foto: Wagner Guimarães - ALMS

Para ele, ficou claro nesse domingo, que o processo é político e não jurídico

“Foi um momento lamentável o que ocorreu nesse domingo na Câmara Federal. Ficou claro que a votação foi totalmente política e sem nenhuma responsabilidade. Espero que o Senado reverta essa situação, fazendo uma votação seria e responsável, além de jurídica, como deve ser”, disse o deputado estadual petista Pedro Kemp.

Segundo ele, a votação de ontem, ficou parecendo mais um circo. “Os parlamentares que votaram nesse domingo, se preocuparam mais em mandar beijo e braço para o pai, a mãe, o filho, do que debater o que realmente interessava no momento, ou seja, o motivo pelo qual eles dizem ser necessário este processo. Ficou como um circo de fato”.

Ainda de acordo com o petista de Mato Grosso do Sul, não há crime para ser pedido impeachment. “De fato não existe crime a ser julgado e quem irá julgar realmente é o Senado Federal. Se os senadores votarem com responsabilidade, que espero que sim, e analisarem a questão jurídica, irão ver que não há crime e desta forma, não tem motivo para este processo continuar”, enfatizou Kemp.

Votação

A autorização da abertura do processo de impeachment seguirá agora para análise do Senado. Por 367 votos a favor, 137 contra e sete abstenções, os deputados aprovaram o parecer do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), favorável à admissibilidade da denúncia apresentada à Casa pelos juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale e Janaína Paschoal.

O deputado Bruno Araújo (PSDB-PE) deu o 342º voto pelo andamento do impeachment. Apenas os deputados Anibal Gomes (PMDB-CE) e Clarisse Garotinho (PR-RJ) não compareceram para votar. Clarisse por estar na 35ª semana de gestação e Anibal por problemas de saúde.

Jornal Midiamax