Política

Deputado de MS defende projeto de resolução para impedir cassação de Cunha

Para Marun, julgamento deve apresentar pena menor

Midiamax Publicado em 08/09/2016, às 19h47

None
marun.jpg

Para Marun, julgamento deve apresentar pena menor

O deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS), um dos principais aliados de Cunha na Câmara, disse nesta quinta-feira (8) que não caberia o fatiamento da votação que pode decidir pela cassação de Eduardo Cunha. Visando uma pena menor, o peemedebista defende que o processo seja votado como um projeto de resolução.

Se for votado um projeto, e não o parecer do Conselho de Ética que prevê a cassação do parlamentar, Marun avalia que seria possível mudar para uma pena mais branda, e impedir a cassação.

“Deve acontecer uma emenda propondo uma pena menor e menos grave, para o deputado Eduardo Cunha, para que ele continue, como está sendo, processado no STF”, disse Marun.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, pediu à consultoria da Casa parecer sobre os efeitos da decisão do Senado nos processos de cassação de mandato de deputado. O estudo irá apontar se as votações na Câmara poderão ou não ser fatiadas, como ocorreu no julgamento do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

Qualquer que seja a decisão da Câmara, o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) será o primeiro afetado. De acordo com a Agência Câmara Notícias, Rodrigo Maia disse que sua prioridade número um é a votação do processo de cassação do seu antecessor no comando da Casa, marcada para a próxima segunda-feira (12), às 19 horas.

A Secretaria-Geral da Mesa da Câmara tenta desde sexta-feira (2), sem sucesso, notificar Eduardo Cunha, em Brasília e no Rio de Janeiro, sobre a votação na segunda. Por isso, o ex-presidente será notificado por meio do Diário Oficial nesta quinta-feira (8).

Jornal Midiamax