Política

CPI dura 6 meses e não chega a número concreto de vacinas que sumiram

Relatório foi apresentado nesta tarde

Jessica Benitez Publicado em 29/11/2016, às 21h33

None
cpidavacinaaaa.jpg

Relatório foi apresentado nesta tarde

Instaurada no dia 31 de maio deste ano, a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) das Vacinas foi concluída nesta terça-feira (29), porém sem números concretos. Conforme relatório apresentado pelo vereador Lívio Leite (PSDB) o total de vacinas contra o vírus Influenza H1N1 pode chegar a 22 mil.

O tucano apontou que Campo Grande recebeu 201.420 doses e 199.230 foram distribuídas. Ao todo, segundo levantamento de cada distrito sanitário, 156.956 pessoas foram vacinadas.

Não foram encontradas 14.504 doses de vacinas. Esse é o mínimo que não foi encontrado. Se simplesmente considerarmos tirar aquela margem prudencial de 5%, ou seja, computar apenas o que foi encaminhado dose a dose, chegamos a 22.351 doses, considerando a perda máxima de 10%”, explicou o relator.

Como foram vacinadas 156.956 pessoas, nós também consideramos muitos daqueles registros que, a rigor, não deveriam ser anotados, por conta da fragilidade. Colocamos que 7.847 pessoas a mais foram vacinadas, metade da perna técnica. No total, 164.803 pessoas foram efetivamente vacinadas. Foi uma escolha equivocada, ao ver dessa relatoria, principalmente a vacinação extramuro e o registro quantitativo”, sustentou.

No começo as informações davam conta de que 32 mil vacinas teriam sumido da rede pública de saúde. A CPI realizou 4 oitivas e analisou documentação oriunda dos órgãos de produção e controle das vacinas, e pela própria Sesau (Secretaria Municipal de Saúde). O secretário Ivandro Fonseca negou as acusações.

O relatório foi aprovado pelos integrantes da comissão e está com a mesa diretora da Casa de Leis. Também será enviado ao MPE-MS (Ministério Público Estadual), CGU (Controladoria Geral da União), Conselho Municipal de Saúde e Ministério da Saúde. (Com informações da assessoria de imprensa)

Jornal Midiamax