Política

Comissão de Ética ‘absolve’ Luiza Ribeiro por depoimento ao Gaeco

Caso dos 13 denunciados na operação ainda está na Procuradoria 

Midiamax Publicado em 23/06/2016, às 11h38

None
comissao_de_etica.jpg

Caso dos 13 denunciados na operação ainda está na Procuradoria 

A Comissão Permanente de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Municipal arquivou a representação feita contra a vereadora Luiza Ribeiro, que havia feito acusações contra parlamentares em depoimento gravado ao MPE (Ministério Público Estadual). Em reunião nesta quarta-feira (22), a comissão ainda decidiu em dar prosseguimento em representação contra o vereador Roberto Durães (PSC) que disse conhecer a mãe do preito Alcides Bernal (PP), no silêncio dos edredons.

No entendimento da relatoria, a vereadora se retratou e em sua defesa escrita afirmou desconhecer a existência, “e nunca ouviu falar”, das situações relatadas por ela ao órgão estadual.

Durante a reunião de ontem, a Comissão ainda decidiu, com parecer favorável da Procuradoria da Casa, pelo prosseguimento da representação feita contra o vereador Roberto Durães, que disse conhecer mãe do prefeito Alcides Bernal ‘no silêncio dos edredons', durante a sessão do dia 3 de maio.

Segundo o presidente da Comissão, vereador Alex do PT, o parlamentar terá 10 dias úteis para apresentar sua defesa escrita, a contar da data em que for notificado. O colegiado deve escolher ainda nesta semana o relator do procedimento.

Coffee Break

Ainda de acordo com o vereador Alex do PT, não há um posicionamento da Comissão de Ética da Casa sobre os vereadores denunciados pelo MPE no âmbito da Operação Coffee Break, já que a documentação do caso ainda está na Procuradoria Jurídica, que pediu mais prazo para a presidência do Legislativo para analisar o pedido.

Comissão de Ética 'absolve' Luiza Ribeiro por depoimento ao GaecoO presidente da Câmara Municipal, vereador João Rocha (PSDB) diz que a análise dos documentos precisa ser minuciosa e cada caso precisa ser estudado de forma independente. Desta forma, segundo o presidente, não há previsão para o parecer da Procuradoria chegar até a Comissão de Ética. “O relatório é extenso e embora se trate de uma mesma ação, são casos distintos que precisam ser analisados um a um. É o mesmo processo de análise feito pelo MPE e isso demanda tempo”.

Na lista de possível cassação estão os 13 vereadores denunciados pela Operação Cofee Break: João Rocha (PSDB), Carlos Augusto Borges (PSB ), Valdecy Batista, o Chocolate (PTB), Gilmar da Cruz (PRB), Jamal Salem (PR), Eduardo Romero (REDE), Edson Shimabukuro (PTB), Edil Albuquerque (PTB), José Airton Saraiva (DEM), Flavio Cesar (PSDB), Paulo Siufi (PMDB), Otávio Trad (PTB) e Mário Cesar (PMDB). 

Jornal Midiamax