Política

Cinco disputam sucessão de Murilo Zauith

Campanha eleitoral começa dia 16 em Dourados

Midiamax Publicado em 08/08/2016, às 12h47

None
murilo_zauith_prefeito.jpg

Campanha eleitoral começa dia 16 em Dourados

Os 152.169 eleitores computados pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral) em Dourados, a 228 quilômetros de Campo Grande, terão os votos disputados por cinco candidatos à sucessão de Murilo Zauith (PSB) no comando da prefeitura. Pelo menos três desses nomes figuram como fortes postulantes à chefia do Executivo municipal, num cenário bem diferente das duas eleições passadas.

Délia Razuk (PR), Geraldo Resende (PSDB), Renato Câmara (PMDB), Wanderlei Carneiro (PP) e Ênio Ribeiro (PSOL) foram oficializados por seus partidos durantes as convenções e poderão dar início às respectivas campanhas a partir do próximo dia 16.

Pelas composições partidárias, Délia tem como vice Marisvaldo Zeuli (PPS), ex-presidente do Sindicato Rural de Dourados. Geraldo Resende compôs com Rogério Yuri Farias Kintschev (PSB), ex-diretor presidente do Instituto de Meio Ambiente de Dourados. Renato Câmara caminha com Zélia Nolasco (PROS), professora universitária. Wanderlei Carneiro está acompanhado por Benjamin Barbosa (PSL), empresário. Ênio Ribeiro tem a correligionária Vera Alves, líder do movimento sem-terra, na condição de vice.

ELEIÇÕES DISPUTADAS

A última vez que os douradenses tiveram opções equivalentes em força política numa eleição, foi em 2008. Naquele ano, o então deputado estadual Ari Artuzi (PDT) obteve 45.182 votos e venceu a disputa com Murilo Zauith, à época vice-governador pelo DEM e votado por 39.614 eleitores; Wilson Biasotto (PT) foi a opção escolhida por 21.821 votantes naquele ano.

Com a renúncia de Artuzi no dia 1º de dezembro de 2010, preso pela Polícia Federal em setembro daquele ano durante a Operação Uragano, o principal município do interior do Estado passou por duas gestões interinas. A primeira, de um mês, do juiz Eduardo Machado Rocha, e a segunda, da vereadora Délia Razuk, na época presidente da Câmara pelo PMDB. Somente em fevereiro de 2011 foi convocada uma eleição extemporânea.

ALIANÇAS ATÍPICAS

Mas esse pleito fora de época foi marcado por alianças atípicas que possibilitaram, por exemplo, a união de PMDB, PSDB, PR, PDT, PSL, PRB, PSB, PPS, PTB, PV, PP, PTdoB, PRP e PT na Coligação União Por Dourados, que levou Zauith à chefia do Executivo municipal com os 70.906 votos obtidos no dia 6 de fevereiro de 2011. Nessa ocasião, ele enfrentou os Genival Antônio Valeretto (PMN), Geraldo Sales (PSDC) e José Araújo (PSOL), de partidos nanicos que em nada ameaçaram o projeto eleitoral do democrata.

Menos de dois anos depois, já no PSB, Zauith liderou a coligação “Dourados Unida por Nossa Gente” e com o apoio de DEM, PC do B, PDT, PMDB, PPS, PR, PRB, PRP, PRTB, PSD, PSDB, PSL, PT, PTB, PT do B e PV, foi reeleito no dia 7 de outubro de 2012 com 65.794 dos votos; superou Keliana Fernandes (PSC), surpresa da disputa com 34.132 votos, Delane Borges (PSDC), votado por 3.806 eleitores, e Zé Roberto (Psol), opção escolhida por 1.659 votantes.

Jornal Midiamax