Política

Bernal diz que vice dele renunciou em ‘troca de concessões’ para ser solto

Prefeito se pronunciou via assessoria

Evelin Cáceres Publicado em 08/09/2016, às 15h21

None
bernallll.jpg

Prefeito se pronunciou via assessoria

O prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP) afirma avaliar a renúncia de Gilmar Olarte aos cargos de prefeito e vice como de “extrema gravidade, pois aparenta ser uma tentativa de obter liberdade, em troca de concessões”. O pronunciamento do prefeito foi emitido via assessoria por grupo de WhatsApp da Prefeitura nesta quinta-feira (8).

Bernal diz que é importante que toda a sociedade esteja ‘alerta’ para o que classifica como ‘movimentações’. “Hoje, com esta renúncia, o sucessor imediato do prefeito é o presidente da Câmara Municipal, que é do PSDB e foi um dos denunciados pelo Ministério Público Estadual à Justiça por corrupção passiva, no crime praticado contra Campo Grande e que foi investigado e constatado pelo Gaeco, tendo como provas, gravações obtidas por meio de escutas autorizadas pelo judiciário”.

Por fim, Bernal ainda afirma esperar que Olarte faça delação premiada, “contando como foi que quebraram Campo Grande e principalmente quem foram os beneficiados por esse crime uma vez que há até mesmo informações circulando de que recursos municipais foram utilizados para bancar campanhas eleitorais em 2014”, denunciou.

Renúncia

A carta de renúncia de Gilmar Olarte que o advogado Jail Azambuja entregou nesta quinta-fera (8) na Câmara de Campo Grande diz respeito aos cargos de prefeito e de vice-prefeito, ambos exercidos pelo ex-companheiro de chapa de Alcides Bernal (PP).

Jail explicou que este era um assunto que vinha sido tratado há algum tempo com Olarte e que tomou forma após a sua prisão durante a Operação Pecúnia. “Com isso, esperamos que os processos se encaminhem para o primeiro grau, já que ele não tem mais foro privilegiado”.

Jornal Midiamax