Política

Bernal diz que Puccinelli e Nelsinho têm vínculo íntimo há 24 anos

Prefeito não duvida de reedição de aliança

Midiamax Publicado em 24/01/2016, às 12h15

None
bernal_0611_400x300_ml.jpg

Prefeito não duvida de reedição de aliança

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), não duvida que os ex-prefeitos Nelsinho Trad (PTB) e André Puccinelli (PMDB) voltem a fazer aliança para chegar ao comando da Prefeitura de Campo Grande novamente. Indagado sobre a possibilidade, Bernal disse que os dois são amigos há muito tempo.

“Eles sempre estiveram juntos. São 24 anos juntos, com vínculos íntimos. Estão unidos em todas as coisas que fizeram: política, João Amorin”, declarou Alcides Bernal. Na avaliação do prefeito, a população não elegeria Nelsinho novamente.

“As operações da Polícia Federal e do Ministério Público desmascararam este grupo. Falta apenas o judiciário se manifestar. O povo já sabe de tudo. Eu acredito na Justiça. Temos que confiar nas autoridades e nas instituições. É uma questão de tempo. Trad e André são parte do mesmo grupo”, opinou.

Nelsinho e Puccinelli tiveram um encontro recentemente, onde conversaram sobre a possibilidade de candidatura em  Campo Grande. No encontro Nelsinho teria visto com Puccinelli a possibilidade de apoiá-lo para a Prefeitura de Campo Grande.

Nelsinho sucedeu Puccinelli em Campo Grande, somando 16 anos de parceria da dupla e do PMDB na Capital. Eles perderam a eleição em 2012, quando não conseguiram eleger Edson Giroto, perdendo para Alcides Bernal. Após a eleição Nelsinho se candidatou a governador em 2014 e não conseguiu chegar nem ao segundo turno. Pouco tempo depois saiu do PMDB, se filiando ao antigo partido, o PTB.

A vereadora Luiza Ribeiro (PPS) causou polêmica recentemente ao falar sobre o serviço de tapa-buraco em Campo Grande. Em depoimento ao Ministério Público, a vereadora denunciou possível desvio de verba na operação tapa-buraco, que envolveria João Amorin, ex-cunhado de Nelsinho, André Puccinelli e Nelsinho Trad.

“Funcionários que passaram pela Prefeitura em outro tempo. Há tempo recente. Há tempo mais antigo. São pessoas que nos dizem com maior clareza: Olha, eles dividiam a cidade em lotes físicos aonde estes lotes foram licitados as empresas e há um rodízio que a empresa faz o serviço ou faz a emissão da nota…  Isso é afirmado assim como um esquema já consolidado né, que cresceu muito no último período, do Gilmar Olarte. Um período que saltou aos olhos e tal. Mas, que isso vem sendo montado há vários anos, inclusive no período do próprio André Puccinelli e depois no período do Nelsinho Trad se consolidou”, diz trecho do depoimento de Luiza.

João Amorin e André Puccinelli são investigados na Operação Lama Asfáltica, comandada pela Polícia Federal e Controladoria-Geral da União. Eles investigam possível desvio milionário em obras de pavimentação do Governo do Estado. A investigação está em fase final e pode ser concluída neste ano.

Jornal Midiamax