Política

Após críticas, vereadores desistem de aumento e devem congelar salário

Remuneração permanecerá em cerca de R$ 5,3 mil 

Ludyney Moura Publicado em 23/06/2016, às 11h37

None
camara_bonito.jpg

Remuneração permanecerá em cerca de R$ 5,3 mil 

Leitores do Jornal Midiamax do município de Bonito, principal destino ecoturístico de Mato Grosso do Sul, encaminharam diversas reclamações sobre um projeto de lei que aumentaria o salário dos vereadores, prefeito e vice-prefeito local em 40%, o que não vai acontecer, como garantiu o presidente da Câmara Municipal.

“O país está passando por dificuldade financeira, e pelo porte da cidade de Bonito, colaborando com andamento do município ao fixar os salários”, garantiu o presidente da Câmara, vereador João Ligeiro (PDT).

Segundo o pedetista, um projeto de lei foi apresentado na Casa de Leis prevendo a possibilidadeApós críticas, vereadores desistem de aumento e devem congelar salário de reajuste dos salários dos vereadores, no equivalente a 30% da remuneração de um deputado estadual, atualmente em cerca de R$ 24 mil.

Caso a proposta apresentada foi apreciada e aprovada pela Câmara os salários dos vereadores passariam de R$ 5,3 mil para R$ 7,5 mil, do prefeito de R$ 15,4 mil para R$ 21 mil, do vice-prefeito de R$ 7,7 mil para R$ 10,8 mil e dos secretários de R$ 7 mil para R$ 9,1 mil.

Todavia, Ligeiro revelou que o vereador Edvaldo Rebeque (PTC), apresentou uma emenda solicitando a fixação dos salários, ou seja, mantendo o mesmo valor aprovado em 2012, para valer até 2020, o que deve ser aprovado pela maioria, aposta o presidente da Câmara de Bonito. 

Jornal Midiamax