Política

Após cassação de prefeito e vice, Douradina tem candidato único para a prefeitura

Professor Jean, do PEN, não tem adversários

Midiamax Publicado em 05/09/2016, às 17h52

None
professor_jean_douradina_ok_ok.jpg

Professor Jean, do PEN, não tem adversários

A disputa eleitoral deste ano pela Prefeitura de Douradina, a 200 quilômetros de Campo Grande, tem um único candidato. Jean Sergio Clavisso Fogaça, de 37 anos, o Professor Jean (PEN), não tem adversários nesse pleito. Ele foi consenso entre diferentes ideologias partidárias depois da turbulência política vivida no município com a cassação, em 2015, do ex-prefeito Darcy Freire (PDT) e seu vice, José Ailton Souza Nunes (PSDB).

A crise administrativa na prefeitura começou logo após as eleições de 2012. A chapa eleita foi cassada em fevereiro de 2014 pelo TRE/MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul), acusada de compra de votos. Embora a Corte eleitoral tenha determinado um pleito extemporâneo, prefeito e vice voltaram aos cargos em março daquele mesmo ano, após recurso ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Um ano depois, no entanto, o Tribunal decidiu pela cassação em definitivo de Darcy Freire e José Ailton Souza Nunes. Já não havia tempo hábil para convocar novas eleições municipais, e o Executivo de Douradina passou a ser comandado pelo presidente da Câmara Municipal, vereador Paulo César Ferreira da Silva (PSDB), de forma interina.

DESCRÉDITO POLÍTICO

“Com tudo que aconteceu a comunidade vê com muito descrédito grande parte da classe política. Meu nome é de fora, nunca fui candidato a nada, a vereador nem a nada. Sou uma pessoa nova, sem ligações com a atual administração”, explicou ao Jornal Midiamax o Professor Jean, nascido e criado no município que pretende governar.

Casado e pai de uma menina de 9 anos, Professor Jean é geógrafo e foi diretor da Escola Barão de Rio Branco por seis anos, cargo que deixou em 2014, quando passou a liderar o sindicato municipal dos educadores. Àquela altura, já havia ajudado a criar o Diretório Municipal do PEN (Partido Ecológico Nacional), ainda em 2013.

SEM BARGANHAS

“Decidi entrar na política por vontade de contribuir, de fazer diferente. Douradina é pequena, mas tem seus problemas e precisa de um gestor. Precisamos muito menos de um político e mais de um gestor que tenha condições de driblar esse momento conturbado que a cidade vem passando”, pondera.

Essa mensagem, contudo, não é nova. Professor Jean informa que desde 2013 tem feito o corpo a corpo no município para apresentar sua proposta de governo. “É um trabalho que a gente vem fazendo há muitos anos conversando com a cidade e propondo um projeto novo. Os partidos entenderam que o melhor projeto para o momento é o nosso, não é uma política de troca de barganha”, ressalta. “Não fizemos loteamento, distribuição de cargos”.

VOTAÇÃO LEGÍTIMA

Pela Coligação Juntos Somos Mais Fortes, composta por PEN, PT, PR, DEM, PSB e PSDB, Professor Jean tem na condição vice o democrata Aparecido de Souza Caminha, o Cido Caminha, agricultor que foi prefeito de Douradina de 1996 a 2000.

Apesar da vitória certa, o candidato único procura manter a cautela. “A gente trabalha com pé no chão, apesar de eleitoralmente não ser complicado, a gente precisa ganhar com muita legitimidade. Votação expressiva nas urnas vai voltar a dar credibilidade para conseguirmos os recursos que precisamos”, avalia, considerando estar no meio de uma “eleição calma, tranquila, pé no chão, corpo a corpo”. 

Jornal Midiamax