Política

Advogado informa desistência a ex-assessor por Whatsapp e se livra de punição

Ronan está sem defesa no caso dos cheques em branco

Jessica Benitez Publicado em 09/08/2016, às 18h23

None
printwhats.jpg

Ronan está sem defesa no caso dos cheques em branco

Após o advogado Hugo Melo Farias provar que havia comunicado o ex-assessor da Prefeitura, Ronan Feitosa, sobre não defendê-lo mais na ação de corrupção passiva, o desembargador Luiz Cláudio Bonassini reconsiderou pedido de providências que havia feito à OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

Depois de Hugo comunicar renúncia da defesa, o relator considerou a postura como espécie de manobra para protelar andamento da ação que envolve o conhecido caso dos 'cheques em branco'. O advogado, então, anexou aos autos cópia da conversa que teve com o ex-assessor do vice-prefeito de Campo Grande afastado, Gilmar Olarte (PROS).

Sendo assim, ele conseguiu que a decisão de Bonassini fosse reconsiderada. “Ainda que a mesma tenha sido efetivada através de aplicativo, com o avanço da tecnologia, nada impede que seja aceita como realizada, pelo menos para os fins aqui pretendidos, que se resumem à reconsideração quanto à remessa de ofício à OAB”, disse o relator. Ronan, que deveria ter nomeado substituto, segue sem defesa.

Caso – Tanto o ex-assessor quanto Olarte são réus em ação de corrupção passiva acusados de usarem os cargos públicos para benefício próprio. Segundo denúncia do MPE-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) pessoas emprestaram aproximadamente R$ 900 mil à dupla em cheque e dinheiro, diante da promessa de que receberiam cargos e vantagens no Executivo Municipal.

Jornal Midiamax