Política

Zeca vai pedir punição de prefeitos do PT que integram consenso na Assomasul

Pelo menos 11 dos 14 prefeitos do PT em Mato Grosso do Sul desrespeitaram decisão da legenda

Ludyney Moura Publicado em 16/01/2015, às 17h09

None
zeca.jpg

Pelo menos 11 dos 14 prefeitos do PT em Mato Grosso do Sul desrespeitaram decisão da legenda

Voltando a assumir papel de protagonista do PT em Mato Grosso do Sul, o deputado federal e ex-governador Zeca do PT, não gostou da decisão de 11 dos 14 prefeitos do partido no Estado em apoiar e integrar a chapa de consenso da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), encabeçada pelo PSDB.

“Entendo isso como uma grave agressão a autoridade partidária, um gesto claro de desmoralização da executiva, vou propor ao diretório estadual na próxima reunião do dia 28 de fevereiro, punição exemplar a todos aqueles prefeitos que afrontaram a resolução tomada pela executiva estadual”, disse Zeca.

Nesta sexta-feira (16), o prefeito de Jardim, Erney Cunha, será eleito vice-presidente da Assomasul, na chapa encabeçada pelo prefeito de Nova Alvorada do Sul, Juvenal Neto (PSDB). O jardinense afirmou que a resolução petista que proibia alianças com PSDB, DEM e PPS foi feita sem a anuência dos prefeitos.

“Vale ressaltar, que executiva estadual, nada mais fez do que acompanhar a resolução nacional do PT e que negar desconhecimento, daquela resolução no mínimo é tentar esconder o que efetivamente esta por trás dos interesses disso tudo”, rebateu Zeca.

Apesar de não obter êxito na eleição da associação, a resolução petista pode ter repercussão na eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, já que os quatro deputados da sigla descartaram apoiar o candidato do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), o deputado Zé Teixeira (DEM). 

Jornal Midiamax