Política

Vereadores abrem CPI contra prefeito de Mato Grosso do Sul

Medida foi tomada por recomendação do MPE

Jessica Benitez Publicado em 05/08/2015, às 22h06

None
mpe-ms_1.jpg

Medida foi tomada por recomendação do MPE

Por recomendação do Ministério Público Estadual (MPE) os vereadores de Bela Vista aprovaram requerimento de abertura de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar o prefeito Renato Souza Rosa (PSB) devido a possíveis irregularidades na contratação de empresas para fornecimento de materiais e outros serviços. O chefe do Executivo, por sua vez, diz não saber com detalhes sobre a comissão, mas garante ser manobra da oposição.

Conforme recomendação assinada pelo promotor de Justiça Alexandre Estuqui Júnior, as irregularidades são supostas fraudes, desvio de dinheiro público, improbidade administrativa e falta de pagamento dos servidores públicos municipais, além de outras condutas contra a moralidade administrativa e responsabilidade fiscal, todas passíveis de sanções na esfera administrativa e judicial.

Sendo assim, na última segunda-feira (3) nove dos 11 vereadores votaram à favor da instauração da CPI. A proposta partiu de Alcyr  que foi acompanhado com Mendonça (PMDB), Lucinete Leite Lino (PMDB), Jhonys Hemory Basso (DEM), Izabelino Fleitas (SDD), Flávio Barbosa Cabral (SD), Veriano Hoffmesteir (PT), Fabrizia Abrego Tinoco (PROS), Reinaldo Miranda Benites (PSDB) e Waldes Marques Claro (SD). Votaram contra o requerimento Jair Bispo (PDT) e Marcelo Battilani Calvano (PSD).

Para abrir a investigação, os vereadores listaram quais situações serão apuradas, sendo elas a falta de pagamento de salários dos servidores públicos municipais, gasto no valor de R$ 600 mil com publicidade, outros R$ 750 mil desembolsados para festas, inclusive de carnaval, R$ 777 mil em aluguel de maquinários, bem como R$ 48 mil com alugar caminhonete usada para cunho particular.

O chefe do Executivo, porém, alega não estar a par do assunto. Apenas se limitou a dizer que os vereadores que foram favoráveis à CPI foram são os mesmo tentaram impedir sua posse. “Mas posso te informar que esses mesmos vereadores não quiseram me dar posse na época em que ganhei as eleições”, afirmou.

A Câmara Municipal da cidade chegou a fastá-lo do cargo em abril deste ano, mas por força de liminar ele conseguiu voltar ao Paço. (Com informações do Fronteira News)

Jornal Midiamax