Política

Única a favor de abandonar Olarte, vereadora lembra que PMDB perdeu eleição

Carla Stephanini lembrou que Olarte foi adversário do PMDB em 2012

Ludyney Moura Publicado em 26/02/2015, às 17h56

None
dbc85ea6dbb7a363e5958a55c3291140.jpg

Carla Stephanini lembrou que Olarte foi adversário do PMDB em 2012

A vereadora Carla Stephanini (PMDB) não está convencida de que o melhor caminho para o PMDB seja continuar na base de sustentação do prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP). Apesar de ser voto vencido, frente aos outros seis que defendem permanência, a vereadora pretende solicitar uma reflexão ao grupo.

A vereadora ressalta que o partido não pode se esquecer que, embora Olarte tenha assumido o mandato após a cassação de Alcides Bernal (PP), é originalmente resultado da eleição de 2012, quando ambos foram oposição ao PMDB.

Carla diz que vai lembrar os colegas de partido que mesmo na base não se pode perder a capacidade crítica e se distanciar da fiscalização, que é inerente ao cargo de vereador. “Sempre me coloquei de forma cautelosa em relação a administração municipal”, justificou.

Os vereadores do PMDB evitam falar em racha, mas o descontentamento é grande dentro da bancada. Alguns colegas não gostaram do comportamento de Edil Albuquerque, por exemplo, quando decidiu assumir a liderança do prefeito sem consultar o partido.

Edil já tinha criado polêmica ao assumir a Sedesc. Vereadores do PMDB chegaram a dizer que a indicação dele não era da cota do partido. Edil não gostou das declarações e chegou a dizer que sairia do partido. A ameaça de Edil calou os colegas, que optaram por parar de reclamar da falta de espaço do partido.

Até o momento Carla foi a única a se manifestar a favor da orientação dos deputados Carlos Marun e Eduardo Rocha, para que o partido se afaste da gestão de Olarte. Os demais são favoráveis a permanência, embora digam que o partido não participa da gestão. São a favor da permanência os vereadores: Paulo Siufi, Edil, Mario Cesar, Vanderlei Cabeludo, Magali Picarelli e Loester Nunes.

Encontro

A bancada peemedebista, maior da Câmara, havia marcado uma reunião, para discutir dentro outros assuntos a permanência na base do prefeito, para o fim da sessão desta quinta-feira (26), o que não aconteceu.

“Faltaram alguns vereadores e não foi possível (a reunião), mas provavelmente vamos conversar na próxima segunda-feira (2) na sala da presidência”, revelou o líder da bancada, vereador Vanderlei Cabeludo. 

Jornal Midiamax