Política

Senado faz sessão extraordinária para avaliar pedido de prisão de Delcídio

Avaliação ocorre no final desta tarde

Jessica Benitez Publicado em 25/11/2015, às 20h01

None
delcidio_12.jpg

Avaliação ocorre no final desta tarde

O Senado realiza no final da tarde desta quarta-feira (25) sessão extraordinária para apreciação do pedido de prisão do senador sul-mato-grossense Delcídio do Amaral (PT). Documentos do STF (Supremo Tribunal Federal) chegaram à Casa de Leis há pouco. A convocação dos parlamentares foi feita pelo vice-presidente Jorge Viana (PT/AC), conforme informações do site do Senado.

Delcídio foi preso nesta madrugada em Brasília pela Polícia Federal a pedido do STF. Segundo denúncia oriundas da (PGR) Procuradoria-Geral da República ele tentava obstruir investigação da Operação Lava jato. O petista teria ofertado 'mesada' de R$ 50 mil ao ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, além de traçar plano de fuga ao mesmo.

Tudo para que seu nome não fosse novamente citado em depoimento. O filho do ex-integrante da estatal gravou conversa que teve com Delcídio e o áudio serviu como base para o pedido de prisão. No começo da tarde a polícia colheu depoimento e a permanência no cárcere depende do aval do Senado.

Enquanto isso o líder da presidente da República Dilma Rousseff espera em uma cela improvisada e 9 metros quadrados na sede da Superintendência da Polícia Federal em Brasília. Caso solicite outra cela, ele deverá ir para a carceragem onde outros presos estão abrigados. É a primeira vez que um senador é preso no exercício do cargo.

Além dele, também foram presos o chefe de gabinete dele, Diogo Ferreira, o advogado de Nestor Figueiró, Édson Ribeiro, e o banqueiro do BTG Pactual, André Esteves. A reportagem conversou com vários assessores do senador, de Campo Grande e Brasília, mas ninguém soube dizer o que está acontecendo. Eles alegam que tentam contato com o senador, mas não conseguem falar. 

Jornal Midiamax