Política

Sem candidato, PMDB desiste de pedir mandato de Marquinhos

Partido cogita eventual aliança com Trad em 2016

Midiamax Publicado em 15/10/2015, às 16h29

None
marquinhos.jpg

Partido cogita eventual aliança com Trad em 2016

A direção do PMDB não vai pedir o mandato do deputado estadual, Marquinhos Trad (PMDB), caso ele decida sair do partido para concorrer à Prefeitura de Campo Grande, na eleição do ano que vem, por outra sigla. A confirmação foi feita pelo presidente do PMDB, o deputado estadual Junior Mochi, nesta quinta-feira (15).

De acordo com o presidente, o partido ‘conversou’ e chegou a conclusão de concordar, caso Marquinhos prefira sair. “Ao invés de discutir judicialmente”, disse Mochi, que não descartou a possibilidade de coligação com ele, em uma eventual candidatura, ou aliança no segundo turno.

A decisão acontece depois de uma série de declarações dos dois lados. Marquinhos afirmou, por diversas vezes, que vai deixar o PMDB, por não confiar no ex-governador do Estado, André Puccinelli, para concorrer por outra sigla. Ele esperava abertura da janela partidária, que permite ao político deixar o atual partido, sem o risco de perder o mandato por infidelidade partidária.

Por sua vez, líderes do PMDB afirmavam que entrariam na Justiça, caso o deputado deixasse o partido. Agora, segundo Mochi, o objetivo é ‘destencionar’ a situação, tendo em vista também uma eventual candidatura de Marquinhos pelo PMDB. “Tem momentos que ele manifesta que vai sair. Tudo depende de conversa, até porque reconhecemos seu potencial eleitoral”, disse Mochi.

O partido tem o desafio de reestruturar o partido, depois de duas derrotas sucessivas nas urnas – em 2012, no Executivo Municipal, e, em 2014, na eleição para sucessão do governo estadual. Até então, o PMDB trabalhava com quatro nomes possíveis de serem candidatos no ano quem: além de Marquinhos, o deputado federal Carlos Marun, e os senadores Moka e Simone Tebet, estes últimos já declararam não ter interesse. 

Jornal Midiamax